sábado, 9 de fevereiro de 2019

O G1 faz SENSACIONALISMO sobre o Ministro da Educação!


Se não assistiu o vídeo, peço que cliquem neste link, assistam e se inscrevam!

                                   AVISO: TEXTO EXTREMAMENTE LONGO!
Há alguns dias fiz um vídeo sobre os ataques rasteiros que a Mídia Podre fazia ao Ministro Ricardo Vélez Rodriguez, na ocasião pontuei que os grandes produtores de conteúdo da Direita não haviam percebido isso por conta da “Blitzkrieg” que essa mídia militante fazia, além da turminha da Resistência na internet com ataques pessoais. Para minha alegria o Bernardo Kuster contestou as difamações, mas não por parte do G1 e sim por parte do Marco Antônio Villa, que, aliás, não fugiu muito disso.

Matérias escrotas sobre o Governo vindo de sites panfletários como DCM, 247, Opera Mundi, Mídia Ninja etc, não são novidade pois eles são aparelhos que atuam francamente a serviço da esquerda, cuja audiência se restringe os seus zumbis e tudo o que vemos ali é o mesmo discurso panfletário e ideológico de assembleias sindicais, piquetes, reuniões do partido ou DCEs, uma retórica repetitiva e mofada que os mantêm zumbificados.

O perigo não está lá, mas sim na mídia que se diz imparcial (Globo, Estadão, Folha, Veja), pois essa pretensa “imparcialidade” dá a estes veículos uma credibilidade superestimada ante o público comum, aqueles 70 ou 80% que odeia política, acha que todos os políticos são uns canalhas, que o único problema é a corrupção e, ao mesmo tempo, querem que o Estado lhes dê todo e qualquer tipo de benefícios e funcione como uma divindade. Por isso que é primordial que a Direita tenha uma mídia que se travista de “imparcial” e faça a contra-narrativa usando os mesmos instrumentos canalhas para plantar a dúvida na cabeça do povão. Temos bons jornalistas e bons portais de notícia, mas o fato deles se declararem abertamente “de direita” os faz perder credibilidade ante essas massas que acreditam cegamente na Globo, na Folha, na Veja ou no Estadão.

Sem mais rodeios, vamos aqui rebater ponto a ponto o que o G1 e os Parlamentares de ESQUERDA publicizaram sobre o Ministro.

1º “A Universidade não é um direito de todos e sim de uma elite intelectual”
Na cabeça da esquerda evitar que uma pessoa que sequer consegue redigir um texto
ingresse no Ensino Superior é "nazismo"...

O G1 foi extremamente calhorda ao moldar a matéria para fazer com que os seus leitores analfabetos funcionais inteligissem da seguinte maneira: “A universidade é só para quem é rico, intelectual, branco, loiro de olhos azuis e o resto que vá ganhar a vida lavando banheiro”

Pois eu ADORO quando conseguimos refutar facilmente o discurso da esquerda usando a fala de um esquerdista! Eu descobri, de maneira hilária, que eu concordo com o Doctor Pirrola em ao menos uma coisa! Vejam este vídeo dele, desconsiderem as esquerdadas básicas que ele dá (inclusive atacando o Professor Olavo) e percebam que ele tem a MESMA TESE do Ministro Ricardo Vélez, do próprio Olavo de Carvalho e que eu sobre essa sanha de “promover o ensino superior” de maneira irrestrita!
Curso superior não é instrumento de ascensão social, aliás, eu ODEIO essa tese esquerdista (promovida pelo Paulo Fezes e por seu principal lambedor de botas, Paulo Ghiraldelli) de que há um papel social da Escola, isso é um câncer para a Educação Brasileira! É um tema complexo e polêmico que vou abordar em outro momento, mas basicamente essa papagaiada é o que retroalimenta a cultura do Endeusamento do Diploma, um reflexo de como a Educação Básica está uma merda!

Vou dar um exemplo de como as coisas se distorceram absurdamente: lá em 2002, período em que estava na faculdade, um senhor muito simpático chamado Raymundo Carricci (à época com 53 anos e gerente de uma agência do Banco do Brasil) ingressou no curso de Administração. Com a serenidade de sua experiência de vida e uma notável sabedoria, sempre tirava notas bem altas e fazia incursões inteligentes durante as aulas... Em uma de nossas idas ao bar para comer um hambúrguer e tomar uma cerveja, perguntamos a ele o porquê dele ter ingressado na Universidade àquela altura do campeonato, com a vida feita e um relevante sucesso profissional.

Ele contou que ingressou no BB logo aos 19 anos, na época o cargo de Escriturário requeria apenas o ginásio completo (hoje o Ensino Fundamental), com o passar do tempo a exigência foi aumentando e ele se viu cercado de funcionários formados em Ciências Contábeis, Administração de Empresas, Economia e Ciências Atuariais... O Sr. Raymundo achou um absurdo ele exercer a liderança de uma equipe que possuía escolarização acima da que ele mesmo tinha.

Curiosamente o serviço se tornou mais simples por conta da informatização e os cargos de ingresso poderiam ser preenchidos por pessoas com um
BOM ensino médio... Embora o BB ainda exija esta escolarização para ingresso na carreira, os bancos privados só aceitam diplomados nas áreas supracitadas e o motivo é que o nível médio é uma várzea hoje em dia e o ensino técnico é incrivelmente menosprezado... Já vi gente chamando o formando de um curso técnico de “peão engomado” ou “universitário frustrado”, mesmo tendo empresas que pagam muito bem para que esses profissionais atuem na sua área e não mantendo seus empregos medíocres e se frustrando por isso.


Essa política do Governo de “democratizar” o Ensino Superior – inclusive com a criação do ProUni e a flexibilização do financiamento universitário criado no Regime Militar – foi o que fez a Educação Superior se tornar um grande negócio e amenizar o descontentamento das pessoas com a péssima qualidade de ensino oferecida na Educação Básica, mas, ao postergar a solução do problema, tudo o que acontece é a produção em massa de profissionais incapazes. A "indústria do diploma" vai levar o Ensino Superior à bancarrota, aliás, já está levando...

Hoje se contrata bacharéis para atuarem em cargos que há 40 anos atrás seriam destinados para formandos do Ensino Fundamental, em breve o Mercado exigirá que estes cargos sejam providos por Mestres ou Doutores, cuja função é PRODUZIR CONHECIMENTO e não atuar na área técnica!

Com isso o setor de pesquisa e ensino universitário está fadado à destruição e não será capaz nem mesmo de formar mão de obra!

Quando o Ministro diz que a Universidade é para uma “Elite Intelectual” ele diz exatamente o que o esquerdista Pirulla diz: “Universidade é para quem gosta de estudar”!

E é um fato que "nem todo mundo está preparado” ou “nem todo mundo tem disposição ou capacidade"! Ora, temos apenas de 1/3 de estudantes de nível superior com alfabetização proficiente! É EVIDENTE que a fala do Ministro não é nenhum absurdo! Só se escandalizou com isso quem tenta esconder com demagogia uma dura realidade criada pela própria demagogia!

E nós só vamos elevar o nível de nosso ensino quando houver, de fato, uma Elite Intelectual no Brasil e não um monte de boçais que se preocupam mais em fazer politicagem do que produzir conhecimento.

Isso a Mídia Podre omite! É mais bonito subir em cima do
discurso politicamente correto de que “tudo se resolve com educação”,
chega a ser tão desproporcional e caricato como a Rochelle de “Todo
Mundo Odeia o Chris” que resolvia tudo com xarope.

2º “Hue-br” não e a volta da “terrível” Educação Moral e Cívica
Will the zuera end?

A reportagem fica escandalizada – o mesmo para o Deputado Alessandro Molon – com a constatação do óbvio: que o brasileiro se comporta como um animal irracional no exterior. Vélez Rodriguez pretende corrigir isso na Escola e levanta a hipótese de trazer de volta a “opressora” Educação Moral e Cívica.

Embora eu discorde do Ministro neste ponto – afinal, valores são ensinados em casa e não na escola – eu julgo como bastante incoerente esta histeria da esquerda. Ensinar deveres cívicos é uma coisa “opressora”, mas ensinar lacração à revelia das famílias não é? O que dizer da lei de Lula que obrigava o ensino de cultura africana no Brasil com a desculpa de combater racismo mas promovendo segregação e elementos alienígenas à cultura brasileira de fato? Desde quando as raízes do Brasil são estritamente africanas se até mesmo os africanos que vieram para cá sofreram fortíssima influência da cultura portuguesa de nossos colonizadores? Isso sem falar no Kit-Gay que o idiota-mór (Fernando Haddad) negou e a mídia canalha ajudou a dar verossimilhança à negativa... Lembremos que os nazistas negavam o Holocausto e os comunistas negam o Holodomor.

Usando um pouco de lógica e proporcionalidade, assim como os esquerdistas dizem que a EMC era uma forma de atingir a plenitude do projeto do “Brasil Grande” e, por meio do autoritarismo, incutir a responsabilidade cívica de combater os subversivos e “inimigos da pátria” eu também posso, neste mesmo diapasão, dizer que essa lei lulística em pauta é uma forma de atingir o projeto da “Pátria Grande” e, por meio do politicamente correto, incutir o combate aos “inimigos da revolução” fazendo-as se sentirem culpados por pensar diferente da “moral” do Politicamente Correto.

A reportagem entoa o engodo produzido pelos embusteiros da esquerda de que a EMC era uma “doutrinação ideológica do regime autoritário e fascista de extrema direita”, mas isso não é factível, haja vista que durante o Regime Militar a esquerda tomou de uma vez as instituições de ensino e os militares sempre souberam disso, o próprio Bilhante Ustra reconhece em passagens de “A Verdade Sufocada” que havia aliciamento e doutrinação de jovens nas Escolas e Universidades, mas nada fizeram para reprimir...

O destaque dado às palavras literais e genéricas do Ministro tem o objetivo de provocar a ira dos brasileiros do “meião” que se sentirão ofendidos por este “maluco da extrema direita”, e é este o modus operandi da Mídia Canalha!

3º Liberdade de Expressão vs Liberdade de Cátedra

Doutrinação Ideológica?! Imagina! Isso NÃO EXISTE!É coisa dessa "extrema direita delirante"...

Liberdade de Expressão não é a mesma coisa que Liberdade de Cátedra... A primeira está associada à Livre Manifestação do Pensamento (vg art. 5º) e a outra à liberdade de ensinar e de aprender! Portanto é bem menos absurdo eu aduzir que a obrigatoriedade do ensino no Brasil é mais nociva à Liberdade de Cátedra do que o projeto “Escola Sem Partido” ou a volta da EMC!

Sob este prisma, é válido usar o termo “Liberdade de Cátedra” para a metodologia que o professor adota em sala de aula. Um grande amigo que é professor de Educação Básica usa elementos geek para ensinar o conetúdo seus alunos, isso é liberdade de cátedra. Ele estaria transpassando estes limites se usasse seu tempo de aula para ensinar cultura geek ao invés de matemática, por exemplo.

Agora o Senador Randolfe Rodrigues – REDE, o mesmo partideco da Marina Sauro e do Evaldo Estanislau – que citei na minha publicação do 'Escola Sem Partido' – soltou esta pérola, típica de quem conhece o ESP na mesma profundidade que o Landro Karecarnal:

"o que ele [Ministro Vélez Rodriguez] argumenta fere um princípio constitucional que é o princípio da liberdade de cátedra e do pluralismo de ideias pelo qual está assentada a nossa educação"

Por mais que a esquerda adore romantizar a dialógica, tão cara ao Paulo Fezes, sabemos que na sala de aula o que pesa é a caneta do professor na hora de corrigir a prova do aluno... Dialógica é bonitinho quando o professor fala e o aluno bate palmas, quando é contestado – no pleno exercício do aluno de manifestar seu pensamento – nos deparamos com episódios como esse doutrinador canalha humilhando e intimidando seu aluno quando o mesmo fala de Bolsonaro.

Neste contexto faz mais sentido citarmos Max Weber, cujo texto transcrevi em meu vídeo:

Em uma sala de aula a palavra é do professor e os estudantes estão condenados ao silêncio. Impõem as circunstâncias que os alunos sejam obrigados a seguir os cursos de um professor, tendo em vista a futura carreira; e que ninguém dos presentes a uma sala de aula possa criticar o mestre. É imperdoável a um professor valer-se dessa situação para buscar incutir em seus discípulos as suas próprias concepções políticas, em vez de lhes ser útil, como é de seu dever, através da transmissão de conhecimento e de experiência científica.”

Ou seja, o Randolfe não interpretou corretamente o inciso II do Artigo 206 da Constituição:

II - liberdade de aprender, ensinar, pesquisar e divulgar o pensamento, a arte e o saber;”

Neste sentido os correligionários esquerdosos do Senador são muito mais nocivos aos princípios constitucionais nos quais a Educação está assentada do que o Ministro, afinal, ao enviesar o ensino é podada a liberdade do aluno de aprender e de divulgar aquilo que ele pesquisou relacionado ao assunto fora do conteúdo dado em sala de aula. O simples fato de abordar um tema só com determinada bibliografia é um cerceamento deste direito constitucional. Por que o Senador, já que é um defensor da Educação, não se pronuncia na tribuna sobre o triste relato dado pela Professora Paula Marisa que de foi IMPEDIDA de questionar o Semi-Deus Paulo Fezes em sua monografia da Pós-Graduação?

Esta é a esquerda e sua dialética: nojentos como sempre! Estejam eles de vermelho ou de verde!

4º Demagogia do “Todos Pela Educação”

É, dona Priscila, como diria Abraham Lincoln: "Às vezes é melhor ficar calado deixando
que os outros pensem que você é um idiota, do que abrir a boca e não deixar nenhuma dúvida"

Se tem uma coisa que me irrita é ONG de Esquerda, pois promovem pautas demagógicas, daquelas que automaticamente torna um monstro perante à sociedade aquele ousar criticá-la!

O “Todos Pela Educação” é mais uma das malditas OSCIPs fundadas por Metacapitalistas e Comunistas que visam influenciar decisões do Estado para atender sua agenda, tudo, é claro, com um verniz de bom mocismo e virtudes acima de qualquer suspeita.

É importante sabermos quem está por de trás do TPE antes de rebatermos os argumentos politicamente corretos e lacradores de sua 'Presidenta', Priscila Fonseca Cruz.

São FUNDADORES do TPE pessoas como: Frei Betto, Cristovam Buarque, Fernando Haddad, Gilberto Dimenstein, José Roberto Marinho, Neca Setúbal, Mário Sérgio Cortella, Nizan Guanaes, entre outros e o que eles têm em comum? Vou deixar que você, leitor, descubra...

A Sra. Presidente primeiro descobre o fogo:

O problema central da educação brasileira é que a gente não tem conseguido garantir aprendizagem dos nossos alunos”

Jura?! Nossa! Eu pensei que o principal problema eram os banheiros, já que se discute nas câmaras deliberativas dos Conselhos de Educação a normatização ou não de banheiros unissex e se as escolas devem se referir ao corpo discente como “alunos” ou “alunxs”

Logo depois ela vem com aquele discurso pronto, demagógico e nauseante:

E como que a gente resolve esse desafio? Com formação de professores, escolas bem geridas, com tempo integral, com material didático de qualidade, com uma boa base nacional curricular. É assim que se resolve"

A Sra. Priscila – que também é um dos membros fundadores do TPE – esteve durante boa parte do desgoverno petralha (na época de bonança, diga-se de passagem) e, inclusive, contou com apoio do Poste Andrade, que também é um dos fundadores do TPE, sendo que na época ele era o Ministro da Educação. Conseguiram emplacar um monte dessas pautas e nosso desempenho no PISA só caiu... Não é à toa que eu falo, SEM MEDO DE ERRAR:

FERNANDO HADDAD FOI O PIOR MINISTRO DA EDUCAÇÃO QUE JÁ TIVEMOS E O AGENTE PÚBLICO MAIS INCOMPETENTE DA HISTÓRIA DO BRASIL!

Agora, vamos rebater as “soluções” da dona Priscila:

Professores precisam de formação”
Com essa premissa o Governo Petralha MATOU o Magistério! Pergunte a qualquer professor 'da antiga' como o Magistério foi bom para sua formação docente e como ele aborda nichos que o curso de Pedagogia não contempla.
No primeiro item desta postagem, falo sobre o sucateamento dos cursos superiores e do Culto ao Diploma... Com a extinção do Magistério e a banalização do Ensino Superior, adivinha quais os cursos mais baratos, rápidos e com maior oferta de emprego aos seus profissionais? Acertou quem disse Pedagogia ou qualquer licenciatura.

Como o Ensino é obrigatório dos 4 aos 17 anos (atendendo um anseio do próprio TPE), o Poder Público, as ONGs conveniadas ao Poder Público e até mesmo Escolas Privadas sempre terão demanda e por isso precisarão de professores.

O problema é que isso acabou seduzindo gente que não gosta de dar aula e procura esses cursos para simplesmente ter um diploma, o mercado responde a estes estímulos de maneira direta e isso deu origem a várias faculdades meia boca, umas recebendo alunos por meio de programas do Governo como ProUni e Fies (então ampliavam suas vagas sem poder comportá-las) outras baixando ridiculamente seus preços.. Somando a isso uma péssima educação básica, temos uma quantidade relevante de professores que se formam sem a menor condição de terem entrado numa universidade, muito menos de lecionar para crianças!

Curiosamente o curso de Pedagogia e as matérias didáticas das licenciaturas abordam autores como: Paulo Freire, Emília Ferreiro, Paulo Ghiraldelli Júnior... Qual o motivo de obrigar professores a se submeterem a isso? Qualificar os docentes ou torná-los militantes?

Escolas bem geridas, tempo integral e material didático de qualidade”
Para ser Diretor de Escola ou Coordenador Pedagógico o pleiteante ao cargo deve ser formado em Pedagogia e ter experiência em sala de aula. Se temos um curso de Pedagogia sofrível e ideológico, como podemos esperar uma boa gestão escolar? Ademais, o ordenamento jurídico brasileiro e o maldito “papel social da escola” tornaram a tarefa desses profissionais uma coisa extremamente inglória e desmotivante.

A Educação de Tempo Integral já é meta no Plano Nacional de Educação, com aumento gradual na oferta de vagas... Interessante para os pais, que trabalham o dia inteiro, e para os ideais revolucionários, já que significa mais tempo de permanência dos alunos na escola, sujeitos ao proselitismo dos catedráticos...

O cerceamento de correntes contrárias ao socioconstrutivismo sempre nos trará autores de livros didáticos socioconstrutivistas, ou seja, mais do mesmo! Como diria Albert Einstein: “Insanidade é continuar fazendo sempre a mesma coisa e esperar resultados diferentes.”

Uma boa base nacional curricular”
Aqui ela consegue contrariar tanto a Direita quanto a Esquerda! Ora, tanto o Ministro Ricardo Vélez e eu – Direitistas – como Darcy Ribeiro e Anízio Teixeira – Esquerdistas – são contrários à centralização da Educação, claro que por motivos diferentes, mas ainda assim opõem-se a isso...

Neste espírito a BNCC foi duramente criticada pela Esquerda, por entender que seria sucatear a educação com reducionismo e excludência e pela Direita, por ser mais um intermediário no processo educacional, tornando-a mais cara, burocrática e ineficiente, já que poderá propor ao mesmo tempo metas e obrigações intangíveis a uma região e já superadas em outras.

Então, Dona Priscila: NÃO É ASSIM QUE SE RESOLVE!

5º Cazuza e Non Sektor
Segundo Moura, 2019 - "Non Sektor" é quando um esquerdista pega uma
frase ou trecho isolado, constrói um espantalho em cima dele e desvia totalmente
o foco da narrativa para este espantalho, sempre bancando o ser iluminado.

Primeiro, vamos combinar que a assessoria do Ministro falhou feio ao atribuir uma frase do Casseta e Planeta ao Cazuza, mas a desproporcionalidade propositalmente criada ofuscou o que o Ministro quis dizer: “Não podemos confundir Liberdade com Libertinagem”

Isso vai desde a discussão sobre “Liberdade de Cátedra” (já abordada) até a algazarra promovida nas escolas pelos próprios alunos, fazendo com que, às vezes, estas se pareçam com hospícios.

Impor limites mínimos, em uma sociedade cujo conceito de liberdade é análogo ao de anarquia, já é tido como autoritarismo e desaconselhado pelos “educadores do bem”, isso gera uma imenso índice de afastamento psiquiátrico de professores.

Ademais, quem atua na sala de aula sabe que boa parte do tempo é prejudicado para disciplinar os alunos. Com isso o conteúdo é interrompido frequentemente e a qualidade almejada torna-se impossível de ser alcançada.

Ficar lacrando em cima de uma situação chata, mas que já foi contornada pelo Ministro e sua assessoria, é de uma leviandade ímpar, porque toda essa reflexão foi colocada em último plano só para evidenciar a “vergonha pela qual o 'ministro de Bolsonaro' passou”, ou seja, Non Sektor. (é NON SEKTOR, hein, e não NON SEQUITUR)

Acredito, assim, ter me pronunciado sobre cada ponto abordado pela reportagem suja e dissimulada do G1. Infelizmente, como mencionado no início do texto, esse é o pior tipo de imprensa: a que se diz "imparcial" porque a credibilidade ainda está associada com esta imparcialidade e a informação (ou desinformação, no caso) é um instrumento poderoso de manipulação de massas!

Divulguem este longo texto para todo o desavisado que entoar qualquer uma dessas falácias, só peço que citem a fonte porque foi extremamente complicado de fazer isso.

quinta-feira, 31 de janeiro de 2019

Anna Virgínia Balloussier, analfabeta funcional ou difamadora tacanha?

Queria ter publicado isso no YouTube, mas sofri Womanterrupting da patroa e, para não perder o timing, vou fazer um rápido texto aqui que será abordado em vídeo amanhã... provavelmente no V8 do Zé, mas só vou conseguir subi-lo no final do dia...

Estava eu chegando em casa quando recebi um whats em um grupo do trabalho com o recorte da manchete a seguir:

Desconsidere a fonte e foque apenas no texto da manchete e do lead...
Você já achará que a Ministra é uma vigarista que
sequer tem o sacrossanto "diproma"! Tenho certeza que muito
esquerdista canalha repostou essa merda com essa intenção!



De cara eu sabia que se tratava de mais uma matéria marrom da Mídia Podre que segue com as tentativas de assassinato de reputação do Governo, ainda mais a Foice de São Paulo, um jornaleco abertamente esquerdista que recebe em suas redações toneladas de ex-universiotários de Federais, cuja doutrinação é velha conhecida.

Abri a matéria e li todas as sentenças difamatórias, na hora me deu um nó na cabeça se a Sra. Anna Virgínia Balloussier era uma ANALFABETA FUNCIONAL – por pegar uma frase usada em pregação religiosa e usá-la no sentido literal – ou agiu de má-fé – o que fica evidente quando cita uma daquelas fontes apócrifas para referendar o seu discurso (uma pessoa ligada a tal coisa, um dirigente, um diretor, um ex-assessor etc).

Esta é a "jornalista", formada em "jornalismo" na UFRJ e em sociologia na USP...
Não preciso dizer mais nada, né... A fonte?
O Linkedin dela: https://br.linkedin.com/in/anna-virginia-balloussier-28b1bb61
Só não floodem o Linkedin, por favor! Se quiserem afrontá-la, vão ao Twitter dela!

Só que a “jornalista” se garante na histeria esquerdista e na preguiça do brasileiro em checar as coisas, pois na matéria dela a mesma já entrega sua desfaçatez em alguns pontos:
  • A assessoria da Ministra falou, sem rodeios, que ela não tinha Currículo Lattes
  • O Currículo publicado na página do Governo não cita pós-graduações strictu sensu
  • Quando a Ministra cita Efésios 4:11 (aqui está o ponto que caracteriza a má-fé da Foice de São Paulo)

Como o excerto usado de forma maldosa pela “jornalista” da Foice de São Paulo foi extraído de um culto religioso, precisamos analisar a fala à luz da Hermenêutica Bíblica, coisa que eu duvido que a maioria dos parlapatões esquerdopatas sequer saiba que existe! Em uma rápida pesquisa no Google você já é capaz de desmascarar o cinismo dessa “jornalista”.

A Teologia cita os dons dados às pessoas escolhidas pelo Espírito Santo para espalhar a palavra de Deus e continuar suas obras na Terra: Apóstolos, Profetas, Evangelistas, Pastores e Mestres. Todos representam Jesus, que possuía todos os dons reunidos, herdavam parte de seu dom e de sua unção, cuja graduação ampliava-se quanto mais próximos do Senhor estes escolhidos se tornavam.

Em uma visão bastante simplista, o “Mestre” - que a ANTA adota no sentido secularizado, como um futuro Doutrinador de Faculdade que possui um título strictu sensu de Mestre – é a mais “baixa” graduação entre os seguidores de Jesus, se aplicava aos que dedicavam sua vida ao mister de professar a palavra de Deus em níveis iniciais, como um professor, um líder, um orador.

Quando a Ministra se diz “Mestre em Direito Constitucional e da Família” dizia que seus conhecimentos legítimos como Bacharel em Direito são usados a serviço de Deus em sua missão na Terra! Debochar disso mostra o quão baixa é esta “jornalista”, que retroalimenta uma multidão de ateus militontos e “progressistas” com suas pautas imundas que promovem libertinagem e luxúria e visam tornar o mundo uma versão macro de Sodoma e Gomorra.

A Foice de São Paulo é um LIXO! Um “jornal” tão canalha quanto Coloca Livre e tão tosco como Brasil 247 e Diário do Cu do Mundo! Sou uma formiga lutando contra um elefante, mas vou combater esse CHORUME VERMELHO da maneira que eu puder fazer!

sexta-feira, 25 de janeiro de 2019

Jean Wyllys e novo intento da velha esquerda

Trata-se de mais um "Plano Infalível" da Extrema Esquerda... Mas será um plano
à Cebolinha: vai causar um transtorno, mas, no final, vai dar errado, eles vão
levar uma surra e a história vai acabar com eles pensando em uma nova tentativa

Eu costumo ser o cara do contra, que enquanto a maioria acha graça eu tento olhar além... E assim eu vislumbro dissidências da esquerda, uma encabeçada pelo Ciro Gomes e outra pelo Paulo Ghiraldelli, essas sim realmente perigosas.

Mas e o Jean Wyllys? Bom, o PSOL é a extrema esquerda que fracassou e que pelo visto continuará conduzindo seus entusiastas ao fracasso, embora possa sim causar muitos transtornos nessa sua aventura de auto-exílio.

Quando vi este alarde pela primeira vez eu não levei a sério, mas depois que soube que ele levaria essa palha adiante eu comecei a tentar entender o motivo que faria alguém que iria dispor de poder, mordomia e segurança durante 4 anos a simplesmente sair de cena.

O sistema eleitoral da a vaga para o Partido Político, então saindo o Jean Wyllys entraria outra figura do PSOL e esta figura chama-se David Miranda.

Não vou ficar passando a ficha corrida dele e nem do Glenn Greenwald, seu companheiro, isto já foi feito pelo LiloVlog e nem farei elucubrações sobre a narrativa que o PSOL está construindo junto com essa velha esquerda lacradora derrotada nas urnas em outubro passado a fim de desmascará-la, isso já foi feito pelo Nando Moura e eu repito: não acredito que isso será um grave problema neste momento, embora incômodo poderá, no futuro, abrir uma porta para o inferno.



Vamos do início: o que o Jean Wyllys pretende fazer é o chamado "Autoexílio", quando ele, por opção própria, sai do país alegando perseguição política... Sem a necessidade de um decreto de banimento e sem pedir asilo político na condição de refugiado, já que não vivemos sob um regime de exceção.


Quando você pensa em autoexílio, você pensa logo em Regime Militar... A lista de banidos nos 21 anos de "ditadura" foi muito, mas muito menor, do que a esquerda diz ter sido! Para um decreto de banimento ser editado, os exilados deveriam ser figuras com alto poder em suas organizações terroristas, normalmente eram terroristas "trocados" por sequestrados. O FHC e aquela turminha da MPB que se disse perseguida implacavelmente NUNCA fizeram parte de nenhum decreto de banimento, contam uma história de que foram aconselhados pelos próprios milicos a saírem do país e foram viver (muito bem, aliás) em países "socialistas" como a Inglaterra (né, Gilberto Gil?!).
 


A "dura" vida de Caetano e Gil no exílio inglês... Devem ter sofrido como os
ucranianos no Holodomor, os romenos nas mãos da Securitate ou os cambojanos
na S-21 de Pol Pot... Os "coxinhas" vão perguntar por que não foram para Cuba...
Pessoal... Exílio não é lazer! Por isso foram para um país capitalista malvadão.
Mas, a narrativa construída foi a de que "a ditadura militar promoveu um genocídio em quem desafiava a censura, exilou estudantes e artistas, aqueles Generais eram monstros!" ou ainda "os pobres artistas, para escapar da censura que os calava implacavelmente, tiveram que fugir e nunca mais foram bem vindos".

E isso foi repetido sistematicamente por várias gerações de crianças na Educação Básica e Superior que hoje são a "população votante" do Brasil e eu já disse: temos um grupo declaradamente de direita, outro declaradamente de esquerda e uma MASSA IMENSA de pessoas apolíticas ou intoxicadas com o positivismo que não estão nem ai para discursos ideológicos, mas abrem um sorrisão para propostas pragmáticas (ou que se travestem de pragmáticas).

A saída do Jean Wyllys fará barulho, ele vai ficar lacrando lá fora para a mídia globalista, certamente vai conseguir apoio de políticos esquerdistas e até empresários lacradores e melar alguns acordos com o Brasil, mas não vai fazer muito mais que isso, porque empresário sim é pragmático e, se o Governo passar as reformas e tornar o Brasil atraente para entrada de capitais, será outro tiro pela culatra dessa esquerda chata, velha e mofada.

Mas, porém, entretanto, todavia se ele conseguir criar uma narrativa de que o Brasil está sendo governado com "mão de ferro" e perseguindo gays a opinião pública estrangeira pode ser formada sob esta ótica. Se entrar dinheiro, gerar empregos isso será abafado e, quem sabe, naturalmente desmentido... Mas, e se demorar? A população quer resultados rápidos, por isso eu disse e reitero: a prioridade é economia, porque povo com mais dinheiro no bolso é povo satisfeito com o governo. Se demorar, várias narrativas da imprensa e da esquerda partidária podem colar desde a do "Ditador Neofascista Miliciano", como a de que "o governo Bolsonaro é igual aos outros" e isso restabeleceria a credibilidade da Mídia Podre, que está decadente porque têm caído do cavalo constantemente.



A Mídia Podre está enfraquecida e chegou ao ponto de assumir, em meio a um
vácuo de poder na esquerda, uma posição de liderança ante a militância, mas,
felizmente, como está com a credibilidade abalada e precisa se passar por idônea,
suas falácias ainda não colam... Mas se passarem a colar, meu amigo... ai já era!

Se isso acontecer, qualquer questão antagônica à cosmovisão do governo será majorada absurdamente! Se houver um acidente com armas envolvendo crianças, isso será elevado à milésima potência, vão querer fazer diversas ilações sobre as políticas armamentistas, virão com aquele discurso canalha de "quem é armamentista tem sangue de crianças nas mãos" e toda aquela pasmaceira irritante que já havia sido varrida daqui, isso geraria desgastes no Governo, já que a Mídia Podre recobraria seu poder hegemônico e produziria uma opinião pública enviesada. Imaginem se um homossexual militante fosse morto, piorou! Fariam dele a nova Mariele Franco e Jean Wyllys poderia, com o hipotético cadáver, validar todo o discurso uníssono da Mídia Podre internacional publicado em diversos jornalixos gringos que seriam importados para o Brasil retroalimentando a lavagem cerebral massiva.

Ainda que isso não produza o efeito de ressuscitar a Esquerda Lacradora - e eu acredito que não produzirá - ele vai sim causar desgaste do Governo e fazer com que este fracasse nas tratativas com o Congresso. Nisso o maldito Centrão, que, vale lembrar, ainda é o fiel da balança ali dentro, tomará conta do Processo Legislativo e sequestrará o Governo, conduzindo-o ao velho marasmo de sempre e provocando uma frustração nos eleitores de Bolsonaro que fizeram parte daquela massa apolítica e sem ideologias.

O caminho estaria aberto para um perigo muito maior em 2022, que se chama Ciro Gomes... Porque ele usaria um discurso populista e ao mesmo tempo firme, agradando os anseios da população que almeja a pragmática política do Positivismo e fincando uma espada na ascensão da Direita.

O verdadeiro perigo é essa porcaria desenhar um cenário favorável à Cirocracia
em 2022! Quando eu digo que este governo TEM QUE DAR CERTO, não
é uma bravata e nem um anseio ideológico, é porque se ele não der a coisa vai
fica muito, mas muito feia!

Neste cenário nefasto, enxergo uma estratégia das tesouras 2.0 montada entre esta esquerda pragmática do PDT e esquerdistas que abracem o discurso do Paulo Ghiraldelli de travar uma guerra cultural mais incisiva em questões cotidianas (sem bandidolatria, por exemplo), com amplo foco na doutrinação escolar.

Qual o nosso trunfo? Aparentemente as dissidências da esquerda e o ceticismo da população em relação às políticas socialistas - muito mais pela corrupção, infelizmente, já que associaram o PT à corrupção pura e simples e não à CORRUPÇÃO CORPORATIVISTA em nome da ideologia socialista - enfraqueceram demais os movimentos esquerdistas que estão desorientados e com um aparente vácuo de poder: enquanto o PT fica cultuando o Lula, o PSOL continua lacrando e o Ciro está em cima do muro esperando uma hora boa para descer... Não há uma diretriz, não há resolução de conjuntura... a única coisa que parece organizada é o assassinato de reputações capitaneado pela Mídia Podre e isso porque o Flávio Bolsonaro - novamente, não entro no mérito dele ser culpado ou inocente - se calou e a formiguinha se tornou um elefante.

O que eu vejo como a grande saída a curto prazo é o Governo tratar de passar logo as tais reformas, fazer essa maldita fila do desemprego atrofiar e, se Deus quiser, sumir! O povo PRECISA ver retorno do Governo e isso, infelizmente, só acontece de duas formas: com dinheiro no bolso ou com assistencialismo, sendo que o assistencialismo é o que nos trouxe para a lama.

O povo estando feliz com o Governo, qualquer coisa que a Mídia fale perderá relevância imediatamente...

A longo prazo, vou bater NOVAMENTE, nesta tecla: equilibrar as forças nos setores que propagam a narrativa.



Eu não estou brincando... Isso porque eu não coloquei a do 247 aqui, hein...
Já chamam o Governo de "Regime Neofascista", pra você
ter só uma ideia da dimensão que estão querendo dar para a coisa!


Em uma pesquisa simples do Google, usando a palavra "autoexílio" ou "exílio" os primeiros resultados que me aparecem são de diversas páginas de extrema esquerda como "O Cafezinho", "Blog do Esmael", "Brasil247" e "Diário do Cu do Mundo", todos reproduzindo a narrativa de que o Governo Bolsonaro é um "Regime Miliciano e Neofascista"... Sobrou até para o coitado do Sandro Rocha que foi difamado pela Maria do Presidiário e vai meter "proxéxo" nela.

E não pense você que os sites que se intitulam "idôneos" ficam muito longe disso... o G1 fez uma matéria BASTANTE ESCROTA com várias citações externas para torná-la bem tendenciosa com aquele verniz do "não sou eu quem estou falando, hein... é o fulando daqui da fonte!", esta matéria será tema de vídeo no YouTube assim que eu conseguir gravá-lo!

Então, pessoal, não fiquem chateados quando eu não entrar na zueira... Esquerdista é mestre da dialética, NADA que eles fazem é sem pensar em uma consequência antagônica ao que praticaram em determinado momento... Eles só respondem à revolução!


terça-feira, 22 de janeiro de 2019

A Direita em meio ao assassinato de reputações

Saudações, diletos leitores! Antes de mais nada, gostaria de vos convidar
a se inscrever no meu “knél” do YouTube, onde publico coisas mais
resumidas e dinâmicas do que aqui, mas com o mesmo fundamento:
promover a guerra cultural e ponderar as coisas sob um ponto
de vista nem sempre unânime com as demais alas do conservadorismo atual.

Estive ausente e devo alguns assuntos aqui, como a OAB e o que difere o Poder de Polícia em um Estado Policial para um Estado Democrático de Direito, mas a urgência é esta postagem, que talvez ganhe uma versão resumida em vídeo, que se trata da massiva tentativa de assassinar a reputação das três personalidades com notória relevância dentro da Direita Brasileira, eu diria até que fazem parte da Tríade da Direita, com dois de seus representantes primordiais (Olavo e Nando) e um diretamente ligado ao terceiro vértice (Flávio).

Temos ainda a Ministra Damares Alves ai no meio como um bode expiatório para que sejam atacados os valores cristãos, sempre tentando colar nela uma imagem de fanática religiosa e personalidade caricata.

Para a reflexão a ser discorrida, baseei-me no livro
“Assassinato de Reputações: Um Crime de Estado”
de Romeu Tuma Júnior e Cláudio Tognolli (não posso me dizer
um grande fã de ambos, aliás, o Sr. Tuminha passa boa
parte do livro parecendo mais um petista magoadinho
do que alguém realmente indignado com a
mentira vendida pela Jararaca que enganou a muitos – mas não a mim).

Embora o livro tenha mostrado mais as entranhas mafiosas do Ministério da Justiça Lulista e narrado algumas das ações policiais da Família Tuma, o pensamento central dele me fez tomar algumas posições que antes não tinha, uma delas foi ter uma cautela muito grande para acusar pessoas de crimes com base apenas em matérias jornalísticas.

A mídia é partidária e o dito “jornalismo marrom” não é exclusividade de portais nanicos ou sensacionalistas, abarca até os impérios da Mídia Podre. Com o advento das redes sociais e plataformas digitais, a atividade informativa ampliou o escopo de forma brutal permitindo que uma verdadeira blitzkrieg à Joseph Goebbels fosse aplicada de maneira sistemática, vimos isso acontecer na campanha presidencial que, felizmente, não surtiu efeito... Graças à habilidade de Carlos Bolsonaro e do General Heleno, que contra-atacaram pontualmente cada Fake News e impediram que a máquina de mentiras petista lograsse êxito.
É óbvio que eu quero que isso seja esclarecido e que, havendo culpados,
eles sejam exemplarmente punidos... Mas não cabe à Mídia fazer juízo
de algo cuja investigação sequer foi concluída na seara administrativa!
O silêncio dos envolvidos foi o principal ingrediente para esta Blitzkrieg!


Talvez a falha de Flávio Bolsonaro tenha sido esta: calar-se, "consentindo" as acusações... Talvez ele seja culpado... Mas não cabe à Mídia, de forma unilateral e sem observância dos Devido Processo Legal, declarar quem quer que seja culpado ou, pior ainda, aplicar penas muito mais graves do que a de reclusão ou mesmo as penas capitais: assassinar reputações. (no momento em que editava esta postagem, fui noticiado que a Rede Goebbels está tentando vincular o cara ao caso Marielle Franco, uma pessoa que, me perdoem os familiares, não era ninguém na fila do pão até ser morta)

A perda de confiança ou a formação de uma imagem desabonadora são, quase sempre, irreversíveis para um ser humano. O preconceito, por exemplo, é um mecanismo de defesa que atua de forma implacável e cujo combate é praticamente impossível mas, em contrapartida, é muitíssimo fácil de ser majorado quando se tem uma “aclamação” de tal atitude.

No mercado fonográfico, por exemplo, a cada dia surge um lixo novo que é exaustivamente veiculado na mídia como algo “muito bom” e que “pessoas descoladas estão curtindo”, assim se constroem opiniões e quanto mais gente falando daquilo, mais aquilo se torna grandioso.

Imagine essa fábrica de zumbis atuando em cima de injúrias? Basta uma matéria sensacionalista replicada e explorada exaustivamente por uma semana que TODA A OPINIÃO PÚBLICA pensará, de forma uniforme e consolidada, exatamente como o Establishment quer.
Não basta desmentir as falácias... isso é remediar! O melhor é a ação preventiva,
ou seja, atuar de forma que as pessoas mais simples, mais suscetíveis ao Senso
Comum, não deem crédito a algo que nasce na Mídia Podre e é reverberado em
todos os lugares, dando corpo à tática nazista da mentira repetida 1000 vezes!
Isso só será possível quando equacionarmos o debate no âmbito da cultura.

O pior é quando isso é inverídico, pois a reparação do dano jamais é proporcional ao estrago, justamente porque é impossível de ser reparado.

E assim temos uma legião de zumbis que repetem que o Olavo é um astrólogo conspiracionista e que o Nando Moura é um criminoso, chegando ao ponto de estenderem as ofensas à esposa do cara, que jamais fora sequer mostrada em seus vídeos...

Quando este tipo de baboseira vem de uma molecada idiotizada é até compreensível, mas quando parte de um Acadêmico que se diz de direita – Luiz Felipe Pondé – percebemos que, além da guerra ideológica, temos que lidar com a guerra de egos que só alimentam esta blitzkrieg e tornam as coisas ainda mais difíceis.
Eu já havia abaixado minhas armas para os Libertários e Liberais...
Não acredito na união com eles, afinal, são a Extrema Direita de fato!
Mas eu prefiro ter a Extrema Direita trabalhando sistematicamente conosco
do que tê-los como adversários e corroborando indiretamente com os ataques
que partem do lado vermelho da força!
Se muitos comunistas se tornaram conservadores com o passar
da idade, não será difícil que muitos libertários se tornem
conservadores quando os cabelos embranquecerem
e o juízo lhes aflorar


Aliás, a guerra de egos é uma desgraça que só ajuda a fomentar essas bombas que a Mídia Podre em conluio com a esquerda joga para cima de nós... O objetivo não é “desestabilizar o governo” como muitos direitistas incautos estão alardeando e entrando em um embate idiota com a turminha histérica... O objetivo é criar um ar de que “é tudo a mesma coisa”, mas com que propósito?

Talvez seja para minar a Direita, passar um ar de desordem, afinal a guerra de egos não é entre pessoas que, acima de tudo, querem que o Governo Bolsonaro dê certo... São de pessoas que querem parecer mais inteligentes, mais espertas, mais maduras politicamente. O brasileiro, pelo fato de ser um idólatra, faz de tudo para desvincular sua imagem disso e, nada mais fácil do que criticar acintosamente algo do governo para passar esse ar de 'ser superior' que está 'acima de qualquer coisa', sendo que este é, na verdade, o maior de todos os gados.

Lavar roupa suja em público dá lastro a este assassinato de reputações, pois algumas pessoas são tão histéricas que suas atitudes podem ser usadas como um exemplo do espantalho que eles pintam.

Não sou um dos que prega o discursinho da “direita unida” - embora tenha adotado um bordão que prega esta união, o righ-wing headbangers united – minha meta é torná-la organizada! Por isso que eu "abaixei minhas armas" para os Libertários e Liberais.

Se estes assassinatos de reputação obtiverem resultado tornará praticamente impossível equilibrar essa Guerra Cultural, uma vez que estarão atacando o cérebro – Olavo de Carvalho – o rotulando como um velho senil; o coração – Nando Moura – o rotulando como um inescrupuloso em busca de dinheiro e nada mais e, por fim, os braços e as pernas – Jair Bolsonaro – querendo igualá-lo a um presidiário que roubou a Fazenda Pública em nome de um projeto totalitário.

Sabemos – e a Mídia também sabe – que a Onda Conservadora levou consigo muitos embaleiros e, principalmente, positivistas tecnocratas, embebidos com o ranço antipetista, logo, são pessoas que, por não comungarem do pensamento e da filosofia conservadora, podem se tornar voláteis e idiotas úteis para a causa revolucionária.
Essa quantidade absurda de oportunistas apareceu porque "começamos do fim",
de nada irá adiantar sairmos simplesmente caçando bruxas agora... O trabalho tem que
ser feito com o intuito de fazer com que as pessoas, o povão, a massa, se ligue
quem é quem! E para isso teremos que bater de frente com a mentalidade
tecnicista que está arraigada na cabeça das pessoas! Isso talvez seja tema
para vídeo, assim fica mais dinâmico de explicar.

Eles estão fazendo justamente o que o vagabundo do Mano Bosta “mandou”: voltando às bases, sabem que é inócuo atacar o Presidente, então vão atacar as pessoas que fizeram com que ele se tornasse o que é hoje e, neste ínterim, apareceu um rabo de camundongo chamado Fabrício Queiroz... Não atacaram de imediato porque esperavam um contragolpe feroz, como na campanha, este contragolpe não veio e foi a deixa.

Por fim, qual a lição que tiramos disso tudo? A Direita precisa muito parar de atuar somente na Política Partidária, que é repleta de estratagemas e que, num país com uma cultura que orbita entre o positivismo e o socialismo, está sujeita a qualquer tipo de crítica ácida, violenta e até mesmo desleal por parte da “Opinião Pública”.

Desconstruir esse ranço socialista e positivista fará com que o grande público olhe com ceticismo tudo o que é massivamente divulgado e isso tornará muito mais fácil nossa vida, não precisaremos ficar desmentindo coisas a cada dia e ignorando as ações do inimigo nos bastidores.

Enquanto olhamos só para Brasília, os socialistas tomam o nosso bairro, a nossa rua, o nosso prédio, a nossa casa e a casa do vizinho... E é ai que perderemos essa luta! Não podemos deixar que isso aconteça!

quarta-feira, 19 de dezembro de 2018

Culto ao Diploma Universitário X Professor Ludovico... O que tem haver alho com BUGALHO?

Disclaimer: o intuito desta postagem não é o de advogar pelo Olavo de Carvalho e nem pelo Nando Moura, até porque nenhum deles precisa da minha parca contribuição para fazê-lo, contudo, quando um sujeito usa de um hype artificial para referendar uma prática que eu condeno há muito tempo, me sinto compelido a dar meus dois centavos de contribuição. Não pretendo ficar refutando ponto a ponto e nem tampouco citar novamente este “pensador” da New Left brasileira, ele já teve audiência demais para o pouco que agrega.

Enfim, é chegado o dia de citar o mais novo palhaço vermelho a adentrar no picadeiro que se tornou o debate público após a histeria coletiva da esquerda caviar, apelidada de "Resistência"... Henry Bugalho é o nome da "fera" e já advirto que minha atenção despendida a este cidadão resumir-se-á nesta postagem e em um vídeo que pretendo publicar entre hoje e amanhã.

Desde que este sujeito apareceu fazendo vídeo “refutando” o Imbecil Coletivo eu ignorei, mas foi inútil! A massa de ignóbeis que baseiam suas vidas medíocres na idolatria a pessoas (método muito eficaz para criação de celebridades no Brasil), se refestelava com os espantalhos criados por esse sujeito, eleito o “champion” da Esquerda Caviar (a.k.a. “progressistas”). O que me motivou a escrever esta postagem – que terá uma versão resumida em vídeo que publicarei em breve – foi um vídeo do Felipe Rocha mostrando este cidadão e sua esposa tripudiando sobre um YouTuber chamado Ozzy Return, por este trabalhar como Motoboy e as recorrentes carteiradas que ele dá com o atestado de esquerdista diploma outorgado pela Universidade Federal do Paraná


No mundo de Lalaland, Henry Bugalho é como o Quico: o dono da bola e, para
desespero dele, um menino de rua como o Chaves tem o protagonismo que ele não
tem... Logo logo chegaremos às referências com Mises... Tenham paciência e leiam!

Henry Bugalho é a figura do idólatra de diploma, o pouco conteúdo que tive o desprazer de assistir (50 preciosos minutos da minha vida) está adornado em uma autoafirmação sustentada no tal “diproma” que ele tem, o qual usa para validar argumentos vazios, falaciosos com o intuito exclusivo de assassinar reputações, situação que muito me remeteu ao clássico do Professor Ludovico “A Mentalidade Anticapitalista” que dedica um capitulo inteirinho a isso, denominado “o ressentimento da ambição frustrada”.

A indicação de Bolsonaro aos canais de seus “inimigos” provocou na tal “Resistência” um revanchismo injustificado, enquanto o duende vesgo da internet usa isso como justificativa para peitar abertamente seu desafeto, Henry Bugalho usa de uma tática mais ardilosa, de parecer um sujeito calmo e equilibrado para omitir seus argumentos ad hominem - aliás, ele deturpa a própria definição do ad hominem que nem sempre contém xingamentos - acusa Olavo de Carvalho de usar técnicas de manipulação (que não as cita em nenhum dos vídeos que assisti) mas quem o faz é ele mesmo, com sua retórica pedante que exala ares de superioridade, algo que funciona, já que o Brasileiro se deixa levar pela embalagem e não pelo produto.

Convém dizer que nem sempre o que se conceitua como ad hominem é falácia,
algumas correntes consideram a exposição da hipocrisia como ad hominem por atacar o debatedor, mas, convenhamos, uma pessoa que defende uma ideia que ela mesma não pratica não pode e nem deve ser levada a sério! É um exemplo de charlatanismo puro, de alguém que vê a vida de pessoas como um laboratório, coisa que a esquerda fez durante toda a sua existência e os resultados nós já conhecemos.

Em resumo, seu argumento é “eu tenho formação na área, eu sei o que estou dizendo, você não tem! Então, cale a boca ou venha aqui para eu dizer que você é burro me valendo de minha audiência e dos poderes que meu canal me confere”. Mas ele também incorre no mesmo erro da esquerda caviar de ignorar que TODOS os imbecis que se esconderam atrás de diplomas para bostejar em seus escritórios pomposos, financiados direta ou indiretamente com dinheiro público, foram sumariamente ignorados pela massa, que vive no mundo real e não aguenta mais esquerdismo (seja ele comunista, progressista, socialista, social-democracia etc).

Henry Bugalho foi o primeiro ser que testemunhei querer dar
carteirada baseada no que ele mesmo apregoa...
"Jenial", se dependemos das Universidades Brasileiras, estamos
bastante fudidos e por MUITO tempo!


Eis a primeira contradição do Henry Bugalho: se diz defensor da democracia – inclusive cita um livro de histéricos sobre o Donald Trump que em momento algum critica a ascensão de regimes totalitários comunistas que perduram até hoje – mas cerceia o debate democrático com suas carteiradas... Você quer Democracia ou uma Aristocracia de Esquerda? Tenha hombridade, Sr. Henry Bugalho! O Conde Loppeux, que uns amam e outros odeiam – mas que tem inquestionável bagagem intelectual – se posiciona como um Aristocrata abertamente, por que o senhor não desce do muro ou, pelo menos, aprende a mentir de forma mais sofisticada?

Além disso, esse fetichismo com diplomas e títulos é um desserviço ao brasileiro em geral, pois alimenta essa sanha desesperada por diplomas, ainda que isso não signifique nenhuma perspectiva de incrementos em seus salários ou mesmo um recomeço em uma nova e promissora carreira, tudo o que se faz é iludir, e vou aproveitar o ensejo para aduzir essa tese.

Calma, moçada! No fim tudo ficará claro!

O nosso amigo Henry Bugalho ficou escandalizado com a frase “Educação não é direito, é privilégio” que ele tira de contexto, dando a ela um sentido que lhe convém, e justamente pela Finalidade de adquirir conhecimento a medida e que se prosseguem nos estudos. Ora, até o Pirula concorda com isso, até ele fez vídeo dizendo que “vida acadêmica é para quem gosta de estudar”.
O sucateamento da Educação Básica, que visa apenas atender a demanda - já que se tornou obrigatória desde a mais tenra idade - empurra estudantes cada vez mais incapazes para os nível avançados, o tal do "papel social" da escola que eu tanto critico... o DesGoverno Lula usou a versão tupiniquim do sonho americano (que é “estude, se forme e arrume um bom emprego, de preferência público”) para lançar mão de políticas populistas como cotas, ProUni e FIES (este essencialmente criado no demonizado regime militar)... Um monte de universidades, vendo a crescente demanda e pouca oferta, passaram a fabricar cursos cada vez mais vagabundos e recheados de alunos que mal tinham condições de se formarem na Educação Básica, banalizando, assim, o Ensino Superior.

Dar um diploma a um burro não o tornará inteligente, só fará com que aquele diploma
valha menos! Lei de Oferta e Demanda, Bugalho... Diamante vale mais do que Grafite
porque Diamante é RARO, grafite tem às toneladas em qualquer papelaria!


Com a Educação Básica inspirada na turminha do Paulo Freire que implementou a luta de classes na relação professor x aluno e o pensamento revolucionário na metodologia de ensino, e do Lev Vygotsky, que pune o bom aluno fazendo com que este sirva de muleta para o mau aluno, não é de se admirar que tenhamos formandos do Ensino Médio divididos entre militantes de esquerda e pessoas que não têm a mínima condição de dar um rumo às suas vidas. Essas pessoas dão prosseguimento aos estudos em nível superior muitas vezes sem nem saber interpretar textos e fazer operações matemáticas simples, tendo que aprender isso durante cursos superiores, às vezes até interrompendo aulas de conteúdo acadêmico para revisar conteúdo do Ensino Fundamental (tenho testemunhas disso, eu, inclusive, presenciei os fatos! E olha que já faz bastante tempo, hein...)
Moral da história: temos uma “educação democrática” produzindo uma massa de idiotas que passam os primeiros 25 anos de suas vidas estudando para não aprenderem nada! E ninguém da esquerda atacou isso, muito pelo contrário, usou a educação como válvula de escape para problemas sociais (assunto para outra postagem, bem mais interessante).

A esquerda tem uma visão messiânica de "Escola", o que praticamente
destruiu o instituto da Escola e da Educação... O buraco é bem mais embaixo!
Coisa para se resolver em, no mínimo, uns 50 anos!

Vou dar um exemplo claríssimo de como isso acontece no mundo real: um bancário, há muitos e muitos anos, podia ingressar como escriturário tendo o “ginásio” completo, apenas (hoje equivale ao 9º ano do Ensino Fundamental). Hoje os bancos exigem, no mínimo, curso superior em Economia, Administração, Ciências Contábeis ou, em alguns casos, de Ciências Atuariais! Sendo que as funções hoje são mais simplórias, uma vez que a informática entrou em campo... Os próprios bancários vivem reclamando em seus piquetes que suas funções são, hoje, mais de vendedores do que de escriturários ou gerentes... isso é um exemplo.
Um exemplo de que educação, cultura e inteligência nem sempre estão associados a um
diploma... Amador Aguiar, com pouquíssima educação formal, fundou um dos maiores
Bancos Privados do Brasil (o Bradesco) com base no conhecimento adquirido ao trabalhar na
área, como bancário! Hoje ele, no máximo, limparia o banheiro de algum banco, sendo que
demonstrou muito mais competência e empreendedorismo do que muitos profissionais da
Administração de Empresas! Conheci a história dele na Universidade, como um exemplo
dado pelo professor de que não deveríamos jamais endeusar diplomas e usá-los como
paradigma de conhecimento! Curiosamente é a única coisa que o Socioconstrutivismo está
certo: o aluno deve buscar conhecimento... Mas estamos falando de Educação Superior!

O que eu quero dizer com isso é que para as mesmas funções se exigem qualificações cada vez maiores, pois está muito fácil ter titulações, ainda que elas não se traduzam em conhecimento. Ora, se nem o Mário Sérgio Cortella – que pode ser esquerdista, mas eu respeito algumas de suas colocações – concorda que 'título = conhecimento', porque o Sr. Henry Bugalho o exige de seus opositores? Qual a lógica disso?

Concluindo o raciocínio: essa elevação de patamar vai atingir os cursos de pós-graduação Lato Sensu – que já estão uma verdadeira festa do caqui – fazendo com que se eleve o grau de titulação para funções que se mantêm as mesmas desde que se exigia apenas nível fundamental ou médio para desempenho das mesmas. Logo o Deus Mercado, que sempre irá ter as melhores e mais abundantes ofertas de emprego em relação ao mundo acadêmico, irá passar a recrutar Mestres e Doutores para funções antes designadas aos Bacharéis! E isso será a pá da cal para a já moribunda Academia Brasileira que é sim um lixo e a explicação terceiro-mundista do Henry Bugalho funciona muito mais como um contentamento do que uma justificativa.


O papel dado à escola é o principal responsável pelo seu calvário!
Acompanhem as próximas postagens! Irei abordar o tema.

E qual a conexão entre a Mentalidade Anticapitalista e a “filosofia bugalhiana”, já que o “centrista” Henry Bugalho diz que se alinha a Emanuelle Macron (malakoi nos costumes e opressor na economia)? Se conectam no meio e não no fim... Quem resume capitalismo apenas ao acúmulo de capital tem uma concepção rasa do que leva um sujeito a acumular este capital.
Aqui há um choque entre o discurso enfadonho e politicamente correto do “Educação é direito de todos” e da elitização da filosofia e pesquisa que o próprio Henry Bugalho admite existir quando diz que “a opinião do povão – que é burro – não importa para qualificar um filósofo, e sim a dos acadêmicos” ora, temos aqui o RESSENTIMENTO DE AMBIÇÃO FRUSTRADA evidenciado pelo fato de um cara que é autodidata ter obtido notoriedade com as massas propiciando a eleição de um presidente que tinha contra ele TODO O ESTAMENTO BUROCRÁTICO, nem as campanhas milionárias do Lula conseguiram este feito, já que o próprio Estamento Burocrático se posicionava simpático ao PT e ao Lulinha Paz e Amor.

Sofismas e mais sofismas! Chega de desperdiçar meu precioso tempo para falar
desse sujeito! Já conseguiu sua legião de haters, já conseguiu ser mais do que
um rosto na multidão! Agora, recolha-se a sua insignificância! Já temos
palhaços demais em evidência, não precisamos de mais um!

No íntimo do Henry Bugalho e seus mentores, aquilo é uma afronta à “grandiosidade” intelectual monopolizada pela esquerda e isso fica muito evidente quando a massa de manobra estudantil age como a milícia dos Camicie Nere nas Universidades, combatendo o mesmo inimigo inexistente que o Henry Bugalho apregoa, um extremismo que não se comprova e serve muito mais como um escudo politicamente correto para salvaguardar personagens execrados pela população em geral, que o nosso amiguinho despreza mas que é a responsável por alimentar o Leviatã com impostos e, justamente por isso, tem o direito de escolher um presidente cujas ideias se coadunem com as dela e dvirjam das suas e seus amiguinhos da Lacrolândia.

Bem vindo ao mundo real, Henry Bugalho! O mundo real não é a utopia progressista da sociedade erótica do titio Horkheimer e sinto te informar, mas boa parte do Brasil não quer isso rolando por aqui não.