domingo, 19 de maio de 2019

Entre a cruz e a caldeirinha

“No inferno os lugares mais quentes são reservados àqueles
que escolheram a neutralidade em tempos de crise”
Dante Alighieri
E a semana da “Tsunami” chegou e ao meu ver muitos superestimaram o protesto a baderna pela Educação pelo Comunismo promovida pelos Estudantes Militontos Esquerdopatas chupa saco do presidiário de Curitiba, preocupados com o sucateamento da educação direito de fumar maconha e promover marxismo cultural com nosso dinheiro.

Aquela porcaria foi uma histeria coletiva de um bando de desocupados, mas foi alçada pela Mídia Podre como um ato de notório repúdio ao Governo e isso ganhou um verniz muito forte ante à opinião pública porque a Direita continuou se estapeando em público, promovendo purgas entre suas vertentes – o que culminou com a saída de Olavo de Carvalho do debate político brasileiro – enquanto uma MÁFIA sequestrava o governo com a sagacidade de uma serpente que encurrala a presa.

Rodrigo Maia, o Nhonho, resolveu dar uma “demonstração de força”... Se compararmos o que ele fez a uma manobra militar, eu diria que foi algo similar ao que o gordinho da Coreia do Norte fez ao lançar mísseis nucleares por sobre o Japão e isso fez com que a base de apoio popular do Presidente colapsasse e se fragmentasse em duas linhas de raciocínio que, confesso a vocês, me deixou bastante confuso até a publicação deste texto. 

Articulação é, invariavelmente, esse tipo de falcatrua! O que esses malditos querem
"articular"? Articulação é NEGOCIATA, é FALCATRUA! A única articulação
que esses filhos da puta deveriam de ter era em prol do Brasil e não deles mesmos!

O corporativismo é a política de estado do Brasil desde a república velha e aquilo que hoje chamamos de "Centrão" domina o país desde a “redemocratização”, aliás, são o produto do Positivismo dos Milicos... Eles vão manter as coisas funcionando em uma aparente normalidade sempre mantendo uma dependência estatal para qualquer pessoa, desde o rico que queira expandir uma empresa que tem até o pobre que quer matrícula na creche do bairro. Pela lógica, não é muito interessante “peitar” esses caras, já que têm poder e sabem como usá-lo.

Isso nos coloca diante de um impasse...

O dilema é entre a razão e a emoção, adiante irão entender o porquê...
De um lado a Razão: usar uma estratégia baseada em “Os Donos do Poder” de Raymundo Faoro ou “O Príncipe” de Nicolau Maquiavel, e jogar o perigoso jogo da Velha Política. No papel parece uma coisa genial, já que usaría-se do ardil para defenestrar a Máfia que ocupa os três poderes por meio das armas disponíveis. O PT fez isso, ludibriou muita gente assim e a farra acabou quando quiseram descartar o Centrão (especialmente o MDB) para implantar sua ditadura Bolivariana que, é óbvio, acabaria com seus conchavos (e mataria todos nós de fome).

Eu não acredito que Bolsonaro teria sangue frio para fazer isso, sempre foi um homem de temperamento forte, jamais iria fazer teatrinho com bandido para pegá-los no pulo, inclusive nunca deu mostras de que faria isso. Durante o pleito eleitoral, prometeu mesmo bater de frente numa tática quase kamikaze, já que começamos pelo fim - ou seja, nem base militante temos - e ele sequer tem um partido que o apoia em uníssono (O PSL é uma colcha de retalhos com toda sorte de oportunistas e alguns patriotas que se mantêm fieis a ele e sua agenda).

Ao meu ver a principal cagada do Governo foi a falta de unidade do partido e de membros do Governo além do vazamento sistemático de desentendimentos internos, erros de comunicação e fogueira das vaidades. Na postagem que fiz logo na primeira treta – entre Joice Hasselmann e Major Olímpio – tinha escrito que isso não podia acontecer! Assim como também discordo de preconizar “mitadas” na mídia ao invés de fazer o dinheiro voltar ao bolso do povão.

O povão quer dinheiro! Se o povão tiver dinheiro, abraça qualquer
cosmovisão, ideologia ou crendice que lhe apresentarem!
É uma visão materialista, utilitarista e rasa? Claro, mas é o que funciona!


Maaasssss, o que passou, passou.


Do outro lado a Emoção: partir pra cima do Estamento Burocrático com tudo, visando destruí-lo ou ser destruído de uma vez! Também é uma tática perigosa, já que eu duvido muito que o Meião – que é a grande maioria da população – vá querer sair de sua zona de conforto para se sujeitar até, em última instância, ser esmagada por blindados, como a população faminta da Venezuela foi em uma insurreição frustrada contra o DITADOR Nicolás Maduro.

Se der certo, e eu acho muito difícil de dar, é a glória... Agora, se der errado será o caos!

Para ser sincero, agora que há uma “Direita” de fato (se quiserem também chamar de “Extrema-Direita”, tanto faz!) eu enxergo um clima belicoso iminente: se não for agora, será em breve, a pressão no cenário político será constante até que se molde uma identidade democrática e republicana da população, assim como acontece em democracias estáveis.

A Extrema-Esquerda não deve voltar ao poder pelas vias democráticas, já que ninguém a apoia - exceção feita à massa de idiotas inúteis - o socialismo/comunismo está mais do que queimado junto à maior parte da população, do maior discípulo do Olavo de Carvalho à "Dona Maria", todos são unânimes em dizer que UNE, CUT, MST et caterva são um bando de vagabundos arruaceiros e a Extrema-Imprensa quer fazer com que pensem o mesmo com a Direita ao rotular a mesma como “Jacobina”, “Extremista”, “Radical” e “Golpista”.

A mídia podre fazendo questão de rotular a Direita de qualquer jeito!
A ideia é ASSUSTAR o Meião, já que o brasileiro tem aversão a qualquer
tipo de fanatismo, então, nada melhor do que rotular de "fanático" alguém
que não possui nada que o desabone!

O GPS Ideológico da Foice de São Paulo, a Lista Negra do Estadão, as opiniões de babacas como Marco Antônio Villa – que chegou ao absurdo de rasgar seda para o Paulo Fezes – Madeleine Lacsko – a Sommelier de Hipocrisia – e Carlos Andreazza se alinham à postura da Esquerda Social-Democrata e à Direita do Bumbum Cheiroso, representada pelo MBL para formar uma “nova” Estratégia das Tesouras.

A narrativa que querem incutir ao Meião é que os bonzinhos votam ou na Social Democracia ou na Liberal Democracia o resto é tudo extremista e baderneiro.

Disclaimer: Meião é aquele povo que ODEIA política, que acha que é tudo a mesma porcaria,
que se chover não sai de casa para votar e quando se interessa um pouco pelo assunto seu
repertório se restringe a acreditar que o Estado tem que ser o Papai Noel ou o Sílvio Santos,

distribuir direitos adoidado e também tem aquele pensamento Positivista de que se todos
parassem de roubar e trabalhassem isso aqui virava uma Suíça imediatamente ou que se prende
aqueles chavões do senso comum como: “mais educação e menos corrupção” coisas do tipo.

Resumindo, Meião é o Brasileiro Médio
Ora, antes da eleição do Lula havia um ranço antipetista na população – principalmente a mais velha – não porque se trata de um partido comunista de raiz Marxista pura e com plano de Ditadura, a maioria daquelas pessoas que odiavam o PT sequer sabiam quem era Karl Marx! Odiavam o PT porque viam aquela figura abjeta do Lula e o associavam à baderna que foi a greve de São Bernardo do Campo em 1978, olhavam a militância petralha – com Vicentinho da CUT e a turminha maconheira da UNE – com nojo! Não porque eram comunistas, mas porque eram vagabundos e fanáticos.
O Petista é fanático e o Brasileiro médio odeia fanatismo (até no futebol, amiguinho) e a mídia quer transformar os conservadores em
PETISTAS DA DIREITA, e vagabundos como o MBL corroboram com essa narrativa ao fazer uma live vergonhosa que fizerem o favor de tirar do ar.

Se seus pais ou avós não foram comunistas, eles ODIAVAM O PT!
Não necessariamente pela raiz ideológica do PT, mas pelo fanatismo e
o estereótipo de sua militância, uma imagem extremamente repulsiva.
Por isso que eu honestamente acho difícil haver uma adesão de milhões de pessoas que queiram literalmente invadir o congresso e chutar o rabo do Nhonho, do Paulinho da Fraqueza Sindical, do Alcolumbre, do Baleia Rossi e muitos outros parasitas que devem seus mandatos a organizações criminosas que agem na legalidade ou na ilegalidade.

Salvo em uma situação de CAOS generalizado, como o Impeachment da Dilma ou a fome na Venezuela, não podemos contar com a "maioria silenciosa", a qual muitos votaram 17, mas sem ideia do que estava por vir.

A Direita Conservadora tem uma militância muito pequena e sem grandes aportes financeiros, justamente por ser um movimento orgânico – não uma farsa como o MBLixo que é sustentado por sabe Deus quem e esse mecenato, com certeza, não está colocando a grana que colocam naqueles moleques porque gostam do Brasil. Logo, não há quórum e nem cash para juntar uma multidão no Eixo Monumental e fazer uma “Revolução de Veludo”.

Diante de um fato tão complexo, o qual confesso que pensei muito antes de tomar a posição e, apesar da razão dizer que “sim” o coração diz “NÃO” e eu fui pelo coração...

Eu sei exatamente o que essa raça maldita quer: fazer a mesma coisa que fez aqui na minha cidade, Santos/SP.

Os governos do PT entre 1988 e 1996 foram “maquetes” dos 13 anos de Petismo no Brasil: uma torneira aberta com Telma de Souza uma catástrofe com David Capistrano Filho. A população ficou tão irritada com o PT – mesmo com a Telma de Souza sendo uma espécie de “Lula Caiçara” – que o PT NUNCA MAIS VOLTOU e NUNCA MAIS VAI VOLTAR, assim como eu acredito que o Brasil NUNCA MAIS terá presidente petista e a tendência é a representatividade deles no legislativo diminuir progressivamente.
Na foto o atual prefeito de Santos, Paulo Alexandre Barbosa com sua mãe
em meio a membros da "Loja Maçônica Damasco".
Trocamos o Projeto de Poder Comunista pelo Projeto de Poder Maçônico...
Menos pior que a esquerda radical, mas extremamente nocivo e perverso com
aqueles que estão fora de seu núcleo!
O "Plano Santista" em escala nacional estava pronto, acreditavam que um água de salsicha como o Picolé de Chuchu iria dar início à “Ditadura Maçônica” nacional... Santos é o retrato de um governo Maçônico adorado por estes lixos do Centrão: uma cidade com PIB altíssimo e que tem um núcleo elitizado, mas mantém políticas assistencialistas que funcionam em conluio entre ONGs mantidas por pessoas influentes na Sociedade Civil, que ganham verdadeiras fortunas de verbas públicas para distribuir migalhas ao povo, uma imprensa leniente com os governos locais e um forte corporativismo que trabalha para que o poder circule sempre entre membros de sua cúpula.

Quem manda em Santos são as Lojas Maçônicas, os grandes terminais portuários, a Associação Comercial e três grandes famílias: A família Mendes (do Português Armênio Mendes, empresário do ramo de imóveis), a família Teixeira (dona da Universidade Santa Cecília e Sistema Santa Cecília de Comunicação) e a família Clemente Santini (dona do Jornal A Tribuna). Tudo aqui sofre fortíssima influência desses grupo de pessoas, tanto que os governos nos últimos 23 anos sempre possuem pessoas ligadas a eles em cargos de destaque).
Armênio Mendes, falecido em 2017, porém manteve sua família com
muito poder! Para se ter uma ideia do poder desse velho, o consulado geral de Portugal
emitiu nota sobre seu falecimento
.
Bolsonaro frustrou este plano e agora tentam, ou dominá-lo ou expurgá-lo. Ao assistir toda a famosa entrevista em que Bolsonaro mandou a “Jornalixo” da Foice voltar para a faculdade e, principalmente, após o texto compartilhado pelo Presidente nas redes sociais eu rechacei qualquer hipótese de “coalizão”

Maaaasssss, embora a decisão tomada seja voltada ao lado emocional, não podemos agir por impulso:
  • O governo caindo ou sendo ruim, nos tornaremos o “PT da Direita” e seremos esmagados, já que não temos projeto de poder e nem mecenato oculto;
  • Não dá para eliminar mazelas de mais de um século em apenas quatro anos! Vamos ter os pés no chão!
Ainda que desse a louca em Bolsonaro e ele fechasse o Congresso e o STF, criasse um tribunal revolucionário e executasse todos os corruptos de Brasília e a Mídia, em um surto de lucidez, aplaudisse tudo isso, teríamos ainda uma legião quase infinita de corruptos das esferas estaduais e municipais, os corruptos da iniciativa privada, os corruptos ligados às entidades de classe, organizações fraternas, organizações da Sociedade Civil, enfim, dentro e fora das instituições!

É IMPOSSÍVEL RESOLVER TUDO EM 4 ANOS! TEMOS QUE PENSAR COMO PETER DRUCKER E NÃO COMO CHE GUEVARA!

Minhas sugestões (as quais torço para que algum iluminado do Governo tenha isso em mente ou algo melhor):
  1. Pensar em Missão e Visão, ou seja, a situação almejada e como fará para alcançar este objetivo. Pensar o plano tático dentro do planejamento estratégico: O objetivo é fazer o Brasil ser uma potência moral e econômica.
  2. Estabelecer duas metas políticas tangíveis para o quadriênio 2019-2022: para mim seria alavancar a economia e reduzir a violência, com foco em "povo com dinheiro na mão"!
  3. UNIDADE é a palavra-chave! Se Bolsonaro “fechou” com os milicos, que os milicos fechem com ele! Chega de ingerência! Isso foi o que causou o agigantamento do Centrão! O Olavo batia nos milicos porque eles faziam isso, espero que estejam satisfeitos com o afastamento do Professor e se aquietem!

Eu tenho certeza ABSOLUTA que se a população tiver como fazer mais churrasquinhos com cervejinha no fim de semana e não se preocupar em ser roubada, estuprada ou morta, o Governo será alçado à galáxia de tão bem avaliado que será e com isso poderá promover outras pautas, inclusive com vagabundos do Centrão votando a favor para querer surfar na onda, sem a necessidade de puxar saco desses vagabundos.

Seria bom se nosso presidente fosse mesmo um super herói, mas é um homem
comum repleto de boas intenções no meio de um covil de bestas!
O jeito é ir um passo de cada vez, com estratégia e firmeza!
Temos que entender que a mudança, dentro dos próprios paradigmas conservadores, é gradual e, mais do que isso, entender que ela vem de baixo! Se deixarmos as câmaras de vereadores e prefeituras continuarem sendo povoadas em sua franca maioria por escolhidos de Lojas Maçônicas, Rotary Club, OAB, Associações de Profissionais Liberais ou Comerciantes, representantes de grandes corporações, continuaremos tendo diversas “Faculdades Rodrigo Maia” em cada município do Brasil!

O Movimento Conservador precisa tomar conta da cultura e da política locais, por isso eu defendo que o Governo abrande seu ativismo e deixe isso conosco! É extremamente desgastante para o Executivo se expor ideologicamente a uma população que enxerga politização como fanatismo, algo que só é benéfico para a esquerda, que avança e tem 96 anos de vantagem sobre nós.

Bem, acredito que deixei claro meu posicionamento! Dia 26 estarei nas ruas, pedindo voto nominal para a MP870, a reforma da previdência do PAULO GUEDES e a CPI da Lava Toga! Espero que isso encha, pois se o Jair cair é GAME OVER para qualquer vislumbre de um país mais justo e desenvolvido em todo seu potencial, mas sempre deixando o cérebro controlar um pouco do coração.

domingo, 28 de abril de 2019

O mesmo erro duas vezes?!

Diferente do Pense Bem, que te dava três chances de errar, a política na atual
conjuntura não permitirá erros que possam trazer consequências para o presente
ou mesmo para um futuro próximo ou longínquo.
 
Já me manifestei, tanto no YouTube como neste Blog, sobre minha posição sobre os militares e, principalmente, sobre o Regime Militar (cuja opinião pouco foi modificada, mesmo após o excelente documentário do Brasil Paralelo).

Para o texto não se tornar prolixo e confuso, o leitor deve partir da premissa de que a direita brasileira iniciou seu processo de ascensão ao poder pelo último ato: elegendo o Presidente.

Embora isso tenha sido necessário – já que de um lado havia o Establishment louco para colocar um boneco de ventríloquo no cargo e do outro a extrema esquerda agonizando para não ser chutada longe – trouxe uma série de desarranjos que vulnerabilizam tanto o governo quanto o próprio presidente. Temos desde os oportunistas – a turma chinesa do PSL – até uma fortíssima presença maçônica e positivista, incorporada no núcleo militar, tudo isso, claro, regado a ataques baixos e desinformação da Extrema Imprensa.

A presença dos militares em peso ocupando cargos do primeiro escalão não seria um problema se TODOS tivessem uma unidade com o Presidente, mas, ao que me parece, alguns ainda acham que estão no quartel, local onde as insígnias e patentes valem mais do que os cargos nos quais foram investidos e colocam Bolsonaro diante de um impasse que precisa ser solucionado, doa a quem doer, do contrário ele será reduzido a um testa de ferro desse organismo coletivo, com a simples função de “apanhar” e, mesmo que tudo gere um “lucro político”, este será de usufruto dessa ala e não do Presidente Bolsonaro e muito menos dos conservadores. Quem perde com isso é o Brasil!

Contudo, o tema desta postagem é só um dos tentáculos positivistas e não o Lula polvo como um todo. Vamos antes fazer uma observação de como essa notícia chegou até mim e, consequentemente, como ela está chegando às pessoas: quando estava falando ao telefone com um amigo ele me soltou a seguinte indagação “meu, será que o Bolsonaro está endoidando? Primeiro aquela parada do Banco do Brasil, que o comercial era uma merda mesmo, agora ele tá falando que vai acabar com os cursos de filosofia e sociologia, será que isso é verdade?”

Eu levei um susto e, assim que desliguei o telefone, fui procurar por isso no Twitter e achei os benditos tweets:



Não havia visto nenhuma manifestação do pessoal da Direita (exceto do Alan do Terça Livre, cujo vídeo assisti no interregno da concepção e edição deste texto), na hora eu pensei: “isso é uma medida puramente positivista e utilitarista, não há nada de conservador nisso aqui”

Os tweets que se seguiram resumiam-se em uma histeria da esquerda - que certamente gerou a desinformação que chegou ao meu amigo - e de bravatas da direita que eram decepcionantes de se ler!

Eu só tenho uma coisa a dizer e ela não vai agradar muita gente da Direita: Se isso acontecer, com a finalidade que se propõe, será a MAIOR CAGADA QUE O GOVERNO DE DIREITA PODERÁ FAZER! E será uma cagada repetida, porém de outra maneira.

Ah se essa cagada fosse só ligar uma cadeia de pedais de distorção...

É preciso frisar que isto ainda está em estudos e eles não visam eliminar os cursos – como teve idiota dizendo e ainda espalhando mentira de que voltaríamos a ter a disciplina de OSPB – mas devemos analisar os fatos sem passionalidade e com ceticismo, já que temos aqui a nossa famosa “faca de dois legumes”:
  • Esses cursos são frequentados por uma elite (playboyzada mesmo, os burgeses, os ditos socialistas de iPhone) e é o núcleo duro da militância de esquerda e do Marxismo Cultural (as chamadas “extrema-humanas"), logo reduzir investimento – que significa reduzir vagas, polos e até financiamento estudantil – significa menos esquerda nas universidades federais.
  • O curso continuará existindo e os professores doutrinadores irão dar aula com um sentimento de revanchismo terrível.
  • Esta medida não afetará as Universidades Estaduais e nem tampouco as privadas
  • A finalidade (e o objetivo) é estritamente utilitarista e positivista.

As consequências, num primeiro momento, podem ser positivas: mais acesso às profissões de médico e engenheiro para camadas mais pobres e, por conseguinte, maior oferta desses profissionais no mercado (lembrando que a classe médica aqui no Brasil é extremamente corporativista). Podemos ter jovens finalmente se formando e indo atuar nas áreas as quais almejaram nos estudos, ao invés de uma legião de caixas de supermercado com curso superior e frustrados por não ingressarem no mercado de trabalho desejado na vida acadêmica.

Agora, num segundo momento, a coisa tende a não ser muito legal e, para que entendamos o porquê, se faz mister voltar algumas décadas no tempo, lá para o ano de 1968, cujas ceroulas da esquerda ganham tons de marrom quando se é lembrado.

Durante o Regime Militar criou-se a cultura da tecnocracia que se aliou à velha sanha Nacional Desenvolvimentista e isso se refletia em todas as políticas de Estado. Outrossim, era bastante comum a linha de pensamento inspirada em Frederick Taylor, pai da Administração Científica, que preconizava a empresa como uma máquina e seus funcionários como componentes mecânicos. Esse conceito, idealizado inicialmente por Henry Ford, fez com que a produção unitária do Ford T, que antes demorava de 3 a 4 dias, caísse para apenas 93 minutos, tornando o produto também mais barato e acessível. Basicamente o homem era uma máquina e seu trabalho deveria de ser estritamente padronizado, eficiente e eficaz.

É inevitável a associação - ainda que bastante rasa - da Administração Científica
com o filme "Tempos Modernos" de Chaplin. Aliás, lembro-me da disciplina de
Teoria Geral da Administração, lá no ano de 2002, onde tivemos que fazer uma
redação sobre este filme e associá-lo ao Taylorismo.

A educação, na cabeça tecnocrata dos milicos, teria portanto a missão de formar um cidadão apto a levar adiante esse nacional desenvolvimentismo e dar retorno ao país, assim como o Taylor acreditava que operário na fábrica deveria ter preparo para produzir da forma mais eficiente e eficaz possível e dar retorno à empresa.

Temos portanto uma amálgama positivista e utilitarista, já que a educação deveria gerar um retorno ao indivíduo e à sociedade, não bastando esta formar o Ethos. A formação de um bom profissional será consequência de uma educação de qualidade e não a finalidade desta, quando a profissionalização passa a ser a finalidade da educação, esta tende a ser decadente e incentivadora da Diplomolatria.

O Regime Militar cometeu esse erro: formou uma tonelada de técnicos e bacharéis em ciências exatas e relegou o estudo das ciências humanas a uma elite de maconheiros que iria encontrar um fértil terreno para incutir ideias marxistas por meio de discursos panfletários dos mais simplórios. Não à toa que o PT surgiu no chão de fábrica, fazendo greve e piquete, porque a panfletagem sindical encontrou um terreno fértil na cabeça daquele peão de fábrica que passava até 10 horas por dia apertando parafusos. A panfletagem esquerdista se valeu do maior defeito da Administração Científica de Taylor: ignorar o fator humano.

A famigerada greve do ABC de 1978, que tirou do anonimato um torneiro mecânico
que se tornaria o maior bandido do Brasil e fundador da corrupção corporativista, surgiu
da panfletagem socialista no chão de fábrica, cujos operários haviam sido cunhados na
Educação Positivista dos milicos... Ou seja, essa rejeição à dialética nos deu de presente o PT!

E não é só isso: quando se leva a coisa para este lado, se marginaliza todo o meio cultural, já que a arte e as ciências humanas caminham lado a lado, ou seja, teremos diversos artistas nascendo e caindo no colo da esquerda e depois vão ficar choramingando: “por que todo o artista é esquerdista?”

Podem ver que a Lacrosfera é repleta desses “renegados” pela visão positivista dos milicos: artistazinho porra louca, professorzinho doutrinador... tudo gente que os milicos cuspiram em cima e que os conservadores jamais quiseram infiltrar dos seus lá dentro! Assim aquele discursinho nojento da relativização se torna um alento para essas pessoas!

É óbvio que temos um arsenal de esquerdistas que derrubaram uma selva de tanto papel que usaram para escrever livros sobre isso, desde Nilze Campos Pelenda até o Paulo Ghiraldelli Júnior, mas, para não lhes brindar com o desprazer de citá-los aqui, vamos citar a Escolástica, fundamentada nas Sete Artes Liberais, que formou intelectuais como Santo Tomás de Aquino. O Trivium - Lógica, Gramática e Retórica - e o Quadrivium - Aritimética, Música, Geometria e Astrologia - não servia para formar artesãos ou camponeses, logo fugia do conceito utilitarista que a visão pós Revolução Francesa deu à erudição.

Trivium e Quadrivium não se encaixavam naquilo que chamamos de “positivismo” e
nem “utilitarismo” e o que foi produzido através de seu legado reverbera até hoje em nossa
sociedade, como o próprio Auguste Comte (quem diria) dizia: “a vida dos vivos é determinada
por filósofos mortos, os quais eles nunca sequer ouviram falar”
.

Agora vou acionar o modo “Conde Loppeux”

Ah, mas filosofia é inútil” dirá algum imbecil contumaz, não, sua anta! Sem Filosofia não haveria ciência, seu asno estúpido! A filosofia é a "ciência do pensamento" e ela deu origem, inclusive, à matemática, que é a base de todas as ciências exatas!

Mas esses cursos só produzem esquerdistas militantes”, sim, é verdade... Mas não seria pelo motivo da direita ter uma cabecinha “liberalóide” de enxergar a educação como algo meramente utilitarista? Os direitistas que têm profundo conhecimento filosófico são extremamente inteligentes e preparados, mastigam e cospem qualquer debatedor de esquerda sem a menor dificuldade! Será que o problema está na “filosofia” ou no que deixaram fazer com ela? Ou, ainda, será que o problema não é, justamente, o de negá-la?

Esse tipo de proselitismo só acontece porque deixam um só
lado falar, sem o menor incômodo! Os milicos transformaram
esses cursos em Bunkers da extrema esquerda e, pelo visto, não
tiveram o mínimo de autocrítica para se ligar na BOSTA que fizeram!
Vão continuar cagando... Só que dessa vez não vai ter ninguém pra limpar!

Vamos a um exemplo absurdo, para ficar mais fácil de se compreender: suponha que você abandona seu filho ainda bebê na casa de um estranho, dali há vinte anos você o reencontra. Como espera que este filho aja? Como alguém que cresceu tendo o pai biológico como exemplo e parâmetro ou educado sob a régua da família de criação?

É justamente isso que aconteceu: o curso de filosofia – e todas as ditas extrema-humanas – foram completamente instrumentalizada pela Esquerda graças à negligência da Direita para com estes currículos, graças ao pensamento positivista que tomou conta dos cérebros do cidadão comum que permitiram aberrações como acreditar na educação como utilitária e que ela é um direito de todos (inclusive dos que não querem ou não têm condições de aprender).

Caso este estudo vá pra frente, será um erro catastrófico cometido pela ala positivista do governo, já que a turma da cannabis irá continuar se criando em universidades privadas e irá, com certeza, cooptar os cabeças-ôcas que irão apertar seus parafusos em chão de fábrica! Parabéns, milicada, vocês acabam de atender o pedido do Mano Brown e levar a esquerda de volta às bases!
 
Espero que o Abraham Weintraub tenha um pouco de temperança e não entregue este ouro pro bandido! Precisamos equacionar o debate, acuar o inimigo no seu território e não ignorar a existência do território e do inimigo!

domingo, 17 de março de 2019

Afinal, quem são hoje os 'inimigos' da direita?

Todos os direitistas que têm alguma noção de conjuntura e
semiótica política, já perceberam que os militantes de esquerda
são meros peões no tabuleiro... A coisa chegou em um nível
muito maior! Por isso, preparem-se!
 
Quem me acompanha, seja por aqui ou pelo YouTube, sabe que eu tenho promovido o combate frontal na guerra nas narrativas e da cultura, que a política é um produto dos fenômenos sociais que ocorrem nessas outras áreas.

Logo quando Bolsonaro foi eleito, muito se especulou sobre quem assumiria o papel de principal oposição política, aventei aqui que teríamos vários sabotadores tanto em Brasília quanto na Mídia, “profecias” que se concretizaram e de uma forma extremamente escandalosa, tão absurda que as pessoas preferem agir como o Silas Fernandes e não acreditar naquilo que estão vendo, mas naquilo que preferem crer.

Toda a guerra tem um objetivo, o que está em jogo entre a Direita e a Esquerda são as convicções das pessoas do chamado “Meião” (se não sabe o que é “Meião”, acesse isso aqui). Este “Meião” hoje em dia aceita muito do pensamento progressista graças ao aparelhamento dos meios culturais e de comunicação que moveu a Janela de Overton em direção às pautas revolucionárias, sempre com a desculpa de “combater o preconceito” e “quebrar tabus”, assim banalizaram o divórcio (e por conseguinte o casamento), o adultério, a libertinagem, a bandidolatria e tentam incessantemente promover outras pautas mais espinhosas, como o aborto, que ainda tem uma rejeição muito grande por questões religiosas, principalmente.
 

Raramente vemos a MÍDIA PODRE atacando-se entre si, normalmente
suas reportagens são estranhamente harmoniosas, uma referenda a outra
realça certos pontos, mas é tudo muito homogêneo... Nem mesmo na era dos
Blogs Sujos da esquerda - financiados com dinheiro público - víamos
uma onda de ataques de ódio e desespero como vemos agora. O que será
que mudou? Por que será que agora bateu o desespero?

O cenário atual se tornou muito mais hostil porque antes a esquerda não tinha uma oposição extremamente engajada, então conseguiam pautar todo o debate sozinha. Por este motivo, os políticos patrimonialistas (ou fisiológicos, se preferirem) faziam o papel da “direita” (PSDB, MDB, DEM, PP etc) e por vezes “concordavam” com o PT para manter tudo sob controle.

Esse cenário criou no imaginário da população a cultura de que ser “de centro” era sinônimo de uma pessoa inteligente, coerente e que estava sempre aberta a novas ideias e o perigo residia ai, porque a esquerda movia a Janela de Overton sempre fazendo o uso canalha do discurso politicamente correto de que “devemos aceitar as diferenças” e essa pessoa “de centro” que não quer se parecer uma pessoa má e intransigente acaba engolindo essas pautas, mesmo que lhes causem toda a dissonância cognitiva possível.

Quando realmente apareceu alguém que não se preocupava em estar nos parâmetros estabelecidos pela própria esquerda, de cara já foi tachado de “Extrema Direita” de uma maneira completamente inepta para não dizer desonesta. O termo “extremo” ganhou conotação de “violento” e graças às propagandas esquerdistas que dominam o mundo acadêmico com a narrativa de que Nazismo e Fascismo são “Extrema Direita”... Logo, quando a esquerda e o status-quo (representado não só pela Mídia Podre) veem alguém fora dos seus padrões ganhando relevância tentam primeiro ignorar, depois menosprezar, depois rotular como “Extrema Direita” e quando nada disso funciona partem para ataques baixos como assassinato de reputações, isso porque ainda estamos no primeiro semestre de governo... Quais serão os passos seguintes? Ataques físicos? False flags derramando sangue?

A "matéria" do JORNAZISMO da Rede Goebbels é tão calhorda que, logo nas
primeiras linhas já trata de enfiar goela abaixo o termo "Extrema Direita". Mas,
se lermos o manifesto escrito pelo próprio Brenton Tarrant (que está em inglês,
portanto inacessível à maioria das vacas de presépio da Rede Goebbels)
perceberá
que isso não se sustenta porque o sujeito rejeita os termos "Right Wing" e "Left
Wing"
, rejeita o conservadorismo, rejeita o Cristianismo (se diz pagão, inclusive
fecha o manifesto com "see you in Valhalla") e até mesmo o nazismo! Enaltece a
China Comunista (que na verdade é hoje um regime Fascista, e FASCISMO
NÃO É DE DIREITA
, se ainda não leu, leia aqui e também aqui) e se autointitula
como um "Ecofascista" fã de Sir Oswald Mosley, um notório Fascista Britânico,
amigo de Hitler e Mussolini que fez parte da SOCIEDADE FABIANA (aquela do
Socialismo Fabiano)  e do Partido Trabalhista Inglês(que é a Esquerda por lá).

Mas e o termo “Extrema Esquerda”, por que nunca aparece? É simples mas ao mesmo tempo complexo... O mundo acadêmico (que é majoritariamente esquerdista) rotula como “Extrema Esquerda” o Comunismo em sua definição utópica: a estatização completa dos meios de produção, algo que jamais será possível, assim como a extinção completa do estado (me perdoem os ancaps mas o minarquismo é o limite do libertarianismo assim como o socialismo é o limite do marxismo).

Como estamos ouvindo ostensivamente desde a queda do Muro de Berlim que "o Comunismo acabou", as pessoas tendem a ignorar o pensamento dialético da esquerda e manter a ideia de que o terror vermelho só acontece quando da estatização completa dos meios de produção (que não acontecerá nunca, é uma utopia).

Curiosamente, ninguém usa do mesmo discurso dissuasivo quando resgatam os termos “Nazista” e “Fascista”, cujos regimes tradicionalmente alinhados a essas ideologias sucumbiram ao final da Segunda Guerra Mundial, curiosamente a China “Comunista” está mais para uma China “Fascista”, já que o Controle Social do Estado é o motor ideológico do Partido ao invés da revolução proletária.

Para o “Meião” tanto o mortadela mais histérico, que chama até a sombra dele de “Fascista”, quanto o bolsonarista (eu ODEIO este termo) mais fanático, que chama de comunista até quem dá esmola para o mendigo, são dois idiotas. Para ele não faz sentido defender com veemência seus pontos de vista. Ele, tristemente, sente saudades do tempo em que não havia este contraditório, pois podia se manter alienado à vontade, podia apenas isolar os petistas e seguir sua vidinha pacata enquanto sofria lavagem cerebral sem se dar conta.

Por isso agir acintosamente com o “Meião” não vai fazer com que eles mudem suas convicções, eles não são o alvo, mas o “objeto em disputa”. O inimigo não é nem mesmo a esquerda declarada, tão desprezada por eles quanto por nós (a prova foi a não eleição do Haddad), esta já foi praticamente vencida, restando apenas varrer seus espólios para a lata de lixo da história.

Mas então quem é o inimigo? O Príncipe Luiz Philippe de Orleans e Bragança já anunciava em 2018: A SOCIAL-DEMOCRACIA. (Não encontrei o link do vídeo! Foi mal!)

A Social Democracia é a velha política que ninguém gosta, mas que está na zona de conforto do “Meião” e como o “Meião” é composto por muitas pessoas o perigo é real! Este “ideal” - muito parecido com o Socialismo Fabiano – apregoa o mito fundador do Welfare State, ou seja, o Estado a serviço do Cidadão e (agora vou me redimir com os ancaps) sabemos que o Estado NUNCA está a serviço do cidadão.

A plena implantação do Welfare State é uma espécie de Fascismo em ASMR,
onde o Estado se fortalece absurdamente enquanto mima o povo,
mantendo-o subjulgado sem precisar disparar uma bala sequer.

 O modelo Social Democrata é extremamente palatável ao Brasileiro, já que ele engole a estatolatria desde a época do Estado Novo, faz sorrir os metacapitalistas que vislumbram conchavos com os governos e possui uma fortíssima presença das Lojas Maçônicas em seu núcleo duro.

Isso nos faz ligar muitas peças: os ataques da Mídia Podre e as atitudes de alguns militares que fazem parte da equipe de governo geraram uma tremenda confusão no “Meião”, parte prefere se alienar e assistir a novela repleta de Marxismo Cultural e outra prefere acreditar cegamente no Reinaldo Azevedo ou no Marco Antônio Villa, já que estes “falam para um público diferenciado”.

Esse apelo ao ego, de chamar sua audiência de "inteligente" e de seus desafetos de "burros", é usado tanto por jornalistas quanto por esquerdistas convictos como o Paulo Ghiraldelli, o Jean Wyllys e até mesmo o Henry Bugalho. Por isso o perigo que um Marco Antônio Villa representa é muito maior do que o Mino Carta, por exemplo... Sendo que o primeiro se apresenta como “isentão” e o segundo como “extrema esquerda”.

Enaltecer sistematicamente seu público só pelo fato deles darem audiência
é uma tática para prendê-los ao conteúdo e torná-los massa de manobra.
O curioso é que os três odeiam o Olavo de Carvalho e o acusam de
fazer a mesma coisa... Quanta hipocrisia!

Eis o motivo da Mídia Podre ser o pior de todos os generais do Globalismo, que começa a se aproveitar do vácuo de poder na esquerda para tomar o lugar de oposição ao governo de direita.

Para capturarmos a afeição do “Meião” e movermos a Janela de Overton para longe da esquerda temos que jogar o jogo conforme as regras:
  1. Criar canais/mídias de grande porte que tenham narrativa à direita, porém velada.
  2. Divulgar ideias conservadores de forma implícita, à conta gotas, fazendo uso até mesmo de técnicas do politicamente correto para fazer o indivíduo que discorda se sentir culpado por discordar. É cruel? Eu sei... Mas eles não pensam assim!
  3. Policiar a externalização de termos pesados demais e que são facilmente tachados como "Teoria da Conspiração" e representados de forma alegórica por pessoas que se arrogam de uma pretensa inteligência, tais como Globalismo, por exemplo. Esse tema é sério e complexo, precisa ser abordado de forma igualmente séria, com uma viés acadêmico.

  4. Ocupar espaços no mundo cotidiano como em universidades, redações de jornal, meio artístico.

Eu sei, já disse isso milhares de vezes! O caminho é difícil, longo e certamente não será a nossa geração que colherá os primeiros frutos, mas entendam que lutamos contra pessoas altamente inteligentes que estão há quase 100 anos em atividade aqui no Brasil, que seguem instruções de um organismo mundial.

Lembrem-se também que as pessoas custam a acreditar naquilo que as desagrada ou que derruba totalmente suas crenças, assim Galileu e outros foram tidos como malucos no seu tempo.

domingo, 10 de março de 2019

O expurgo de "Olavetes" do MEC e algumas reflexões a respeito

Esta postagem seguirá duas linhas de raciocínio paralelas que depois se entrelaçarão: uma mais pragmática, baseado no cirúrgico vídeo da colega Camila Abdo e na excelente matéria de Paulo Enéas para o site Crítica Nacional, na qual aduz um trabalho de obstrução da “Lava Jato da Educação” pelo assessor Ricardo Wágner Roquetti, coronel da aeronáutica que, segundo o site “Estudos Nacionais”, estaria envolvido com Paulo Roberto de Almeida, ex-assessor do Presidiário de Curitiba e teria participado de um Grupo de Trabalho para criação de um Caça para a UNASUL (Nome de fachada do Foro de São Paulo, ou , como diria o Daciolo, a URSAL).

A outra linha passa pela parcialidade e a militância da Mídia Podre, a manipulação das pessoas do “Meião” por esta narrativa calhorda e o porquê de o Governo estar entrando nesse conflito ideológico que só o desgasta.

Meião: maioria das pessoas que não toma um lado claro na guerra ideológica,
que costuma acreditar que a mídia é sempre equilibrada, que os políticos de
partidos como PSDB e PMDB são dotados de temperança e que a Social
Democracia– embora não saibam nem o que ela seja – é o melhor caminho,
ainda que intrinsecamente


Publiquei vídeo onde noticiei a existência  desta matéria do Estadão, altamente sensacionalista cujos pontos que mais chamam atenção foram:
  • A manchete, principal objeto de leitura de 90% do “Meião” e fonte principal de manipuladores da extrema esquerda é: “Carta com slogan e pedido de filmagem faz MEC afastar grupo de Olavo de Carvalho”

Qual a interpretação implícita neste texto: “Olavo de Carvalho - “ideólogo” do 'Fascismo Bolsonarista' – foi quem tentou usar o MEC para fazer propaganda do Governo. Nas primeiras linhas do texto, as “jornalistas” Renata Cafardo e Isabela Palhares insinuam que o ex-aluno de Olavo, Sílvio Grimaldo (que botou a boca no trombone) foi quem inventou “essa coisa absurda”.

  • Mais adiante, um trecho diz exatamente que “O objetivo, segundo fontes, é “reorganizar a casa” e colocar o foco no que importa na educação. A decisão teria sido do próprio Vélez, durante o carnaval, depois de ser aconselhado a mudar o posicionamento para ser “um ministro de fato”.” (grifos meus)

O texto não cita em MOMENTO ALGUM o nome de Ricardo Wágner Roquetti, mas fala que alguém teria “aconselhado” Vélez sobre isso. A matéria de Paulo Enéas, citada no início, fala sobre o isolamento de Vélez por Roquetti e seu braço direito, Luiz Antônio Tozi, que intermediavam as relações do Gabinete com o Ministro e despachavam com ele sozinhos (guarde bem esta informação).  

Segundo a matéria, o expurgo o faria tornar-se um “ministro de fato”, insinuando que o Ministro é um “fanfarrão maluco” como a maioria esmagadora dos professores NEOPETISTAS o veem, já que a pedagogia têm autores como Paulo Fezes e nosso amigo, aspirante a Guru do Nando Moura, Paulo Ghiraldelli.

Já perceberam que a esquerda adora chamar todo mundo de "Neo-alguma coisa'?
Vamos chamá-los de "NEOPETISTAS", já que eles adoram o "Neo" e o "PT"
 
  • Logo depois percebemos que algumas peças se encaixam quando comparamos a matéria do Estadão com a de Paulo Enéas: “A ideia de divulgar a carta que pedia que o slogan de campanha de Bolsonaro fosse lido nas escolas e que as crianças fossem filmadas não foi compartilhada nem com gestores de mais alto cargo no MEC. A notícia foi dada com exclusividade pelo Estado. O alto escalão do ministério soube pela imprensa da carta de Vélez.”

Há uma grave contradição se analisarmos ambos os textos, vamos a elas: Como pode o Estadão afirmar que a carta do MEC foi ideia dos ex-alunos de Olavo se quem despachava diretamente com o Ministro eram Roquetti e Tozi? Supondo que isso tenha partido da ala “Olavete” do MEC, se chegou ao Ministro foi com anuência da dupla Fabiana, afinal, estes passaram a intermediar qualquer relação do Ministro com demais membros do Gabinete, despachando sozinhos com ele. Além disso, é válido questionar como o Estadão obteve este furo se os despachos do Gabinete eram restritos ao Ministro, ao Roquetti e ao Tozi? Ricardo Vélez dificilmente seria fonte de algum jornalista, logo, quem vazou a informação, foi um dos dois.

Com qual intenção? A de derrubar Vélez Rodriguez? De dar mais insumos para o assassinato de reputações perpetrado contra Olavo de Carvalho? Manter o status quo na Educação Brasileira, com o Conselho Nacional de Educação deliberando e lacrando por meio de seus cargos vitalícios para militantes de esquerda e a obstrução da “Lava Jato da Educação”?

TODAS AS ALTERNATIVAS!

Com um inglês de fazer inveja ao Joel Santana, "jornalista" do Estadão confessa
que a Mídia Podre almeja derrubar o Governo por interesses próprios!
Créditos: Ozzy Return

E aqui se entrelaçam as linhas de raciocínio pragmática – aduzida pela Camila e pelo Paulo – e a ideológica – concebida por minha pessoa.

A Matéria do Estadão faz questão de reduzir Vélez Rodriguez a um maluco que enxerga comunismo e globalismo em tudo! A mesma imagem paranoica que tentam colar em Olavo de Carvalho para entoar o conveniente discurso da “Teoria da Conspiração” que mantém alienado o “Meião” e permite que toda essa caterva trabalhe tranquila no submundo da política.

Isso fica mais evidente quando, no final, dão aquela “lacrada genérica” que conquista o coração de qualquer incauto: “Depois da carta enviada às escolas, o MEC, de fato, recebeu muitas gravações. No entanto, o material mostrava as condições precárias das escolas e não o Hino sendo entoado. O grande volume de vídeos recebidos teria sido avaliado como um indicativo da baixa popularidade de Vélez.”


Lacradas Genéricas são aquele tipo de pronunciamento que contêm um monte
de bobagens mas que são imperceptíveis ao grande público e contêm um forte
apelo emocional, de modo que o opositor não conseguirá refutar a narrativa, ou
porque a refutação é prolixa ou porque a histeria tomará conta de todos ao redor
só do infeliz se pronunciar contra a lacrada. Exemplo: "A única forma do Brasil
melhorar é com mais escolas! Só a Educação salva, viva Freire, patrono da Educação"
Vamos lá, Vélez Rodrigues está no cargo há 70 dias, antes dele tivemos diversos Ministros “queridinhos” da Esquerda, especialmente o Poste Haddad (o PIOR agente público que já exerceu cargo na história do Brasil e provo isso aqui e também aqui), diante disso a dedução das jornalistas é leviana porque:
  • Não dá para mudar em 70 dias o produto de 70 anos de sucateamento! 

  • A manutenção das escolas é de competência dos Sistemas Municipais e Estaduais de Ensino, o MEC pouco ou nada influencia nisso, apenas repassa verbas por meio do FUNDEB, mais especificamente por meio de suas autarquias INEP e FNDE, portanto atribuir o sucateamento dos equipamentos diretamente ao Ministério é burrice. Aliás, se o Ministério se distanciou da Educação Básica, deixando este mister a cargo do SOVIETE chamado Conselho Nacional de Educação, a culpa é de Darcy Ribeiro e de sua LDB!

  • O Ministro Vélez Rodrigues é favorável à federalização, ou seja, maior autonomia para os Entes Federados, isso significa que os Sistemas de Ensino locais podem lograr mais êxito em sanar este tipo de problema em uma gestão de Vélez do que com qualquer personalidade esquerdista que tende a centralizar decisões.

  • A “impopularidade” do Ministro ante os Educadores não se dá por sua competência ou falta dela, mas por sua posição ideológica clara.
  • O Socioconstrutivismo, método pelo qual se norteia a pedagogia brasileira, reduz drasticamente a relevância da infraestrutura no processo educacional! Nele o aprendizado está atrelado à interação com o meio social do aluno, logo a reclamação dos adoradores de Freire, Ferreiro et caterva - que criticam o Ministro por ele achar isso tudo um lixo - constitui-se em uma grave contradição!

Este é Lev Vygotsky, criador do Socioconstrutivismo na psicologia... Para ele
o fundamental é que existam grupos de pessoas para troca de experiências
 e não instalações de última geração! Decidam-se, pessoal... Ou seguem a
linha do cara ou abandonam de uma vez! Depois não vale dizer que deturparam!

 É impossível eu animar um churrasco de pagodeiros com o Requiem de Mozart, da mesma forma que eu não posso colocar um recital de Ernesto de Nazareth como evento de abertura em um show do Iron Maiden, contudo é impossível negar que tanto o Mozart como Ernesto de Nazareth são de uma qualidade musical notável, ainda que desagradem por convicções pessoais das plateias hipotéticas.

E à luz deste pensamento, Olavo de Carvalho, com uma linguagem simples e irreverente, define exatamente o que é a ascensão da Direita ao Poder: uma ejaculação precoce (mas que entendo como necessária).

Eu costumo dizer que a Direita começou pelo fim, a eleição do Presidente deveria de ser o último ato da “desesquerdização” do Brasil, mas acabou sendo o primeiro, tudo para evitar uma catastrófica vitória das esquerdas (seja a linha mais fascista de Ciro Gomes ou a mais comunista de Haddad). Elegemos um presidente que não tem contingente suficiente para prover cargos de confiança com pessoas de sua mesma retidão e alinhamento ideológico, em um partido que funcionou como Barriga de Aluguel e levou consigo diversos oportunistas junto, alguns deles comprometidos com organizações suprapartidárias perigosas e que atuam nos bastidores há séculos.

Quando eu digo "séculos" não é uma mera hipérbole!
A Maçonaria esteve presente, inclusive, na Inconfidência
Mineira! Sugiro ler este artigo sobre o assunto.

Nos meios culturais e sociedade civil, nossa representação é patética! Temos poucos acadêmicos declaradamente de Direita, poucos jornalistas, poucos artistas, pouco espaço na cultura pop... Nosso maior representante social é, pasmem, o MBL... em que pese muito do que tenho contra eles, são os únicos que fazem um trabalho satisfatório de base.

Com isso o Governo acaba tendo que agir de forma ideológica – como agiu Vélez Rodriguez – e se desgasta! Não ante à Esquerda, que irá ter chilique com tudo nos próximos 46 meses, mas entre o MEIÃO!

A opinião de um idiota como Marco Antônio Villa perante um tiozão de 50 anos, gerente de uma empresa, que se acha o supra sumo da inteligência por que ocupa um cargo de liderança e já possui uma certa idade é crucial! E são essas pessoas que, em happy hours, conversas de bar no fim de semana, darão corpo à narrativa inculcada pela imprensa militante.

O Meião quer pragmatismo, quer ver resultados palpáveis! Se o Governo não conseguir aprovar a reforma da previdência e gerar empregos em velocidade galopante, vai desidratar e se tornará extremamente frágil a todo o tipo de ataque!

As tentativas da Mídia de denegrir o Governo estão lastreadas no fracasso de medidas que visam este retorno pragmático, ou seja, por mais que eu deteste concordar com o Duvivier do MBL ele está certo quando fala feito um papagaio desta reforma e que ela tem que passar!

Se o Ministro da Educação falar de Globalismo em rede nacional, mas com erradicação do analfabetismo e colocando uma universidade brasileira de volta às top 100 do mundo, o “Meião” pouco irá se importar se Globalismo existe ou não!

Se as reformas econômicas gerarem emprego e deixarem as pessoas – especialmente as mais pobres – com mais dinheiro na mão no final do mês, pouco irão se importar com o que a Mídia fala do Presidente.

Até mesmo entre a Direita estamos precisando aprender algumas coisas...

Por isso que a ascensão da Direita ao Poder sem equalizar esta Guerra Cultural suscita preocupação, sem dúvidas! Pois o Governo está fazendo também o trabalho que a militância deveria fazer e isso é tudo o que a Mídia Podre quer!

Chegou a hora do Governo se preocupar menos com a mídia e de nós, da militância, irmos para a linha de frente com esses canalhas!

Farei vídeo sobre esta postagem em breve, de forma resumida.